Filho de casal gay está em coma após ser espancado dentro de escola na Grande SP, diz família 

Pai disse que médicos falaram que só um milagre para o garoto sobreviver 

Um adolescente, de 14 anos, está em coma no Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, após ter sido supostamente espancado dentro de uma escola pública na Vila Jamil, na manhã de quinta-feira (5). Segundo o pai do garoto, Márcio Nogueira, o filho foi agredido por cinco garotos.

Quando questionado o motivo, Marcio informou que seria porque o garoto é filho adotivo de um casal gay.  

— Eu não sabia que meu filho sofria preconceito por ser filho de um casal homossexual. O delegado que nos informou. Estamos tristes e decidimos divulgar o que aconteceu para que isso não se repita com outras crianças.

O adolescente estuda na unidade de ensino desde os seis anos. Um irmão de 15 anos, que frequenta o mesmo colégio, presenciou a agressão. De acordo com o que os médicos relataram aos familiares, a vítima teve aneurisma cerebral e está em coma induzido. O estado de saúde é grave. 

Leia mais notícias sobre São Paulo

Dois dos agressores estiveram na casa da avó do menino e se desculparam pelo ocorrido. Os pais da vítima registraram um boletim de ocorrência. O pai disse que pretende processar o Estado. 

— Eu estou pedindo muito que meu filho sobreviva a tudo isso, mas queremos também que a Justiça seja feita. 

Mas a Secretaria Estadual de Educação e a Secretaria Estadual de Saúde negam a versão da família. Em nota, a Secretaria Estadual de Educação informou que não há nenhum registro de agressão no interior da unidade onde o adolescente estuda.

Já a Secretaria Estadual de Saúde confirma que o adolescente deu entrada nesta quinta-feira (5) no Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos com parada cardiorespiratória e passou por um processo de reanimação. Exames feitos no garoto também constataram que ele teve hemorragia, mas não apresentava sinais externos de violência física. O menino está entubado e em estado gravíssimo.