Homem consegue “hackear” aviões usando sistema de entretenimento de bordo

Especialista consegue acessar todo o sistema de segurança do avião direto do seu assento

O computador encontrado na parte de trás do assento de aviões pode ser usado para invadir o sistema de segurança
O computador encontrado na parte de trás do assento de aviões pode ser usado para invadir o sistema de segurança Reprodução/Flicker/Luattar Firesong

Um pesquisador de segurança digital conseguiu um feito impressionante, e até assustador. Ruben Santamarta diz ter conseguido criar uma fórmula para invadir todo o sistema de segurança do avião, e equipamentos de comunicação via satélite, por meio do computador que os passageiros têm acesso. As informações são da agência de notícias Reuters.

Utilizando os computadores colocados na parte de trás dos assentos dos aviões, aqueles voltados exclusivamente para entretenimento dos passageiros, o pesquisador conseguiu desenvolver uma técnica para invadir o sistema do próprio avião e da base de controle.

Seu principal objetivo com essa descoberta é mostrar a fragilidade das barreiras de segurança de sistemas que deveriam ser bastante protegidos, como o da aviação. Ruben apresentará os seus resultados em uma convenção sobre segurança digital, a Black Hat, em Las Vegas.

Hackers russos roubam 1,2 bilhão de senhas de 420 mil sites

Ainda de acordo com a Reuters, Ruben disse que conseguiu invadir o sistema por meio de uma “engenharia reversa” e decodificações com softwares que podem ser baixados por qualquer pessoa. Além disso, o que permitiu a sua entrada no funcionamento do avião é a existência de diversos “bugs” e falhas no firmware do sistema.

— O mais perigoso da minha descoberta é que o sistema de aviões também é utilizado em navios, veículos militares, plataformas de petróleo, gasodutos, entre outros.

Mas a notícia não é tão ruim quanto parece. O “hacker” conseguiu fazer a simulação dessa descoberta em um laboratório controlado, e não em um avião de verdade. Ele promete que conseguiria quebrar a segurança do voo sem problemas, mas o teste em uma situação real ainda não foi realizado.