Policial militar agredida verbalmente por Kannário processa o vereador por calúnia

Caso seja condenado, Kannário pode perder o mandato e ficar inelegível

Policial militar agredida verbalmente por Kannário processa o vereador por calúnia

O artista teria se irritado ao ver a PM agredindo os foliões que seguiam seu trio

O artista teria se irritado ao ver a PM agredindo os foliões que seguiam seu trio

Reprodução/Facebook

A policial militar, Tainá Gome, de 28 anos, agredida verbalmente pelo vereador e cantor Igor Kannário (PHS), durante a micareta de Feira de Santana, em 21 de maio, processou o autoproclamado "Princípe do Gueto" por calúnia.

O processo foi distribuído na segunda-feira (2), na 16ª Vara Criminal de Salvador e segue a rito. Se for condenado, Kannário pode perder o mandato e ficar inelegível. Ele faz planos de ser candidato a deputado no próximo ano.

Relembre o caso

O cantor Igor Kannário discutiu com uma policial militar em maio deste ano, durante sua apresentação na micareta Feira de Santana. O artista, que também é vereador de Salvador, teria se irritado ao ver a PM agredindo os foliões que seguiam seu trio.

"Você é só uma PFem. Eu sou mais autoridade do que você. Eu sou vereador. Me respeite, me respeite! Procure seu lugar", disse o pagodeiro.

Momentos depois, ele pede para a banda parar e volta a falar para a policial. "Ela tá mandando eu tomar no meu c*. É uma policial mandando eu tomar no c*? Ela tem que me respeitar, pô", reclamou. Em seguida, ele seguiu com o show normalmente.

Assista o vídeo: