Brasil Após 13º acúmulo, 2019 já é ano mais difícil para ganhar Mega-Sena

Após 13º acúmulo, 2019 já é ano mais difícil para ganhar Mega-Sena

Neste ano, a bolada tem saído uma vez a cada nove sorteios; prêmio de R$ 170 milhões que será sorteado na quarta-feira (8) é o 3º maior da história 

2019 tem sido o ano mais difícil de se ganhar na Mega-Sena

A Mega-Sena está acumulada há 13 sorteios

A Mega-Sena está acumulada há 13 sorteios

A8SE

A Mega-Sena está acumulada há 13 sorteios consecutivos, o que não acontecia desde 2006, igualando o recorde de vezes que nenhum apostador acertou os números sorteados.

Dados da Caixa Econômica Federal analisados pelo jornal O Estado de S. Paulo mostram que em três outras oportunidades o prêmio acumulou por um período tão longo quanto o atual: 3 de agosto de 2002, 11 de setembro de 2004 e 30 de setembro de 2006. Desde então, o feito não se repetiu.

Leia também: Mega-Sena pode pagar R$ 170 milhões na quarta-feira

Os números de todos os sorteios mostram que 2019 tem sido até agora o ano mais difícil de se obter o prêmio máximo. Neste ano, a bolada tem saído uma vez a cada nove sorteios (foram 4 ganhadores em 37 rodadas) — no ano passado, o número era um prêmio máximo a cada cinco sorteios, e essa média já chegou ser de um ganhador a cada 2,8 sorteios, no ano de 2013. Naquele ano, houve 37 ganhadores nos 105 sorteios da Mega realizados ao longo dos 12 meses.

O que explica a dificuldade é a probabilidade inerente ao jogo: há uma chance de acerto em 50 milhões. Como é raro que o número de apostas chegue perto dos 50 milhões, o que geralmente acontecia nas edições especiais, como a Mega da Virada, o prêmio pode se acumular consecutivas vezes.

Saiba mais: Sorte ou azar? Relembre o que aconteceu com vencedores

O superintendente de loterias da Caixa, Gilson Braga, afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo que tem a percepção de que, quando os números sorteados são mais altos, acima de 30, a chance de o sorteio acumular é maior. "Isso porque na nossa cultura muita gente joga a data do nascimento", disse. 

Sobre as variações na quantidade de ganhadores entre os anos, Braga lembra que, na crise, o dinheiro da aposta também sofre. Segundo ele, a arrecadação das loterias demonstrou isso em 2016, quando houve uma queda significativa na arrecadação. "Apesar da máxima de que na crise se joga mais, o que notamos foi o oposto. O brasileiro tende a segurar o dinheiro da aposta", disse. O ano de 2017 voltou a ter crescimento, assim como em 2019 até agora.

Prêmio máximo da série histórica equivale a R$ 346 milhões

O valor a ser pago na quarta-feira (8) está estimado em R$ 170 milhões — o o maior prêmio desse ano e o terceiro maior entre os sorteios regulares, ou seja, excluindo-se os sorteios da Mega da Virada.

Os maiores prêmios entre os sorteios regulares foram R$ 205,3 milhões em 25 de novembro de 2015 para um ganhador, R$ 197,4 milhões em 22 de dezembro de 2015 para dois vencedores e 135,3 milhões em 22 de novembro de 2014 também para dois ganhadores.

Veja também: Mulher que ganhou na mega-sena denuncia racismo em condomínio de luxo

Em valores corrigidos pela inflação, a maior premiação já paga foi a da Mega da Virada de 2014: R$ 346,2 milhões a quatro ganhadores. Em premiações regulares, o concurso 1.764, em novembro de 2015, pagou a um só ganhador R$ 247,6 milhões.