Brasil Após defender greve, Damares diz que protesto de PMs é contra a lei

Após defender greve, Damares diz que protesto de PMs é contra a lei

Pelas redes sociais, ministra defende "direito de reivindicar em melhores salários" e em outra publicação diz que paralisação coloca sociedade em risco

Agência Estado
Ministra Damares defende direito de manifestação, mas diz que greve é ilegal

Ministra Damares defende direito de manifestação, mas diz que greve é ilegal

Divulgação/ALMG/Flavia Bernardo

Após ter declarado julgar legítima a greve dos policiais militares no Ceará, que ocorre desde a terça-feira (18), a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves afirmou em seu perfil no Twitter que a paralisação não é permitida por lei.

Na segunda-feira (24), após participação em painel no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Damares afirmou que a greve era um "direito". "Todo mundo tem direito à greve. As categorias têm direito à greve (...) O que eu percebi é que os policiais no Ceará estão no limite", afirmou na ocasião.

Nesta terça-feira, 25, Damares fez uma publicação comentando manifestação do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Antonio de Oliveira Francisco sobre a greve dos PMs.

"Ministro Jorge fez sensata manifestação. Concordo com ele. Apoio toda oportunidade que possam surgir dos estados reverem o fortalecimento de suas polícias, defendo o diálogo, mas a paralisação total das forças de segurança não é permitido por lei e coloca em risco a sociedade", escreveu.

Últimas