Bolsonaristas protocolam representação contra Moraes

Alvos de operação da PF alegam que inquérito 4.781 é ilegal e fere a sistemática processual penal de investigação e a Constituição Federal

Moraes foi responsável pela liberação da operação da PF

Moraes foi responsável pela liberação da operação da PF

Carlos Moura/Divulgação/STF - 4.4.2018

Os deputados federais Carla Zambelli (PSL-SP), Aline Sleutjes (PSL-PR), Bia Kicis (PSL-DF), Carlos Jordy (PSL-RJ), Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Filipe Barros (PSL-PR) e Junio Amaral (PSL-MG) protocolaram, nesta sexta-feira (29), uma representação criminal no MPF (Ministério Público Federal) contra o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes, por abuso de autoridade.

No documento, os parlamentares destacam que o inquérito 4.781, relatado por Moraes, é ilegal e fere a sistemática processual penal de investigação e a Constituição Federal.

"Falta a este Supremo Tribunal Federal a necessária impessoalidade judicial para investigar delitos cujas vítimas possivelmente sejam seus próprios Ministros, nos termos do que dispôs a própria Portaria de instauração desse Inquérito", destaca o documento.