Brasil Bolsonaro se cala sobre futuro do presidente do Banco do Brasil

Bolsonaro se cala sobre futuro do presidente do Banco do Brasil

Chefe do Executivo fica em silêncio ao ser indagado se o número 1 do BB será demitido. Banco tenta acalmar acionistas

  • Brasil | Do R7

Presidente durante cerimônia de comemoração dos 160 anos da CAIXA, em Brasília

Presidente durante cerimônia de comemoração dos 160 anos da CAIXA, em Brasília

Adriano Machado/ REUTERS 12.01.2021

O presidente Jair Bolsonaro permaneceu calado ao ser indagado por um de seus apoiadores sobre o futuro do número 1 do Banco do Brasil, André Brandão, na manhã desta quinta-feira (14), em frente ao Palácio do Alvorada.

"Presidente, é verdade que o presidente do Banco do Brasil vai ser demitido?", questionou um dos seus seguidores. O presidente preferiu o silêncio.

Desde esta quarta-feira, crescem os rumores de que Bolsonaro teria se irritado com o plano de redução de gastos do BB anunciado no início da semana por Brandão. De acordo com o programa, a instituição vai fechar 112 agências e desligar 5 mil funcionários por meio de um plano de demissão voluntária.

O plano estaria prejudicando politicamente o presidente.

A partir de então, o ministro Paulo Guedes e sua equipe econômica vêm tentando convencer o chefe do Executivo a desistir da ideia, já que Brandão está no cargo há menos de quatro meses e uma de suas missões é justamente enxugar os quadros do BB.

Também nesta quinta-feira, o BB (Banco do Brasil) comunicou em fato relevante não ter recebido qualquer comunicação formal do governo federal sobre a demissão de Brandão.

À Record TV, a assessoria de imprensa do Ministério da Economia destacou apenas que não há informações sobre a suposta demissão.

Últimas