Campanha arrecada produtos de higiene para os detentos

Iniciativa pretende beneficiar cerca de 500 mil presos. Especialista diz que a má higienização pode comprometer a saúde dos reclusos e da sociedade

UNP entregou mais de 160 mil kits de higiene em 2019

UNP entregou mais de 160 mil kits de higiene em 2019

Divulgação/Universal

A UNP (Universal nos Presídios) – programa social mantido pela Igreja Universal do Reino de Deus – está promovendo mais uma campanha nacional para arrecadar itens de higiene pessoal para detentos. O objetivo é beneficiar no mínimo 500 mil presos em todo o Brasil.

Quem quiser ajudar, pode doar um dos itens indicados abaixo e entregar em qualquer templo da Universal até o dia 29 de fevereiro. A distribuição dos donativos está prevista para o início do mês de março.

As penitenciárias brasileiras só começaram a distribuir kits de higiene para a população carcerária a partir de 2017, quando a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, aprovou o Projeto de Lei 3461/15.

Mesmo assim, segundo o responsável pela UNP no país, Clodoaldo Rocha, o que os detentos recebem do governo não é suficiente para manterem a higiene em dia. “Estamos vendo a realidade deles quase que diariamente. A necessidade lá dentro é muito grande”, explicou.

Na campanha de 2019, a UNP entregou mais de 160 mil kits de higiene aos apenados. “Este ano, além de querer beneficiar pelo menos três vezes mais reclusos, pretendemos fazer as entregas simultaneamente em todo o país”, finalizou Clodoaldo.

O perigo da má higienização

Para o infectologista Jander Bucker, a má higienização dos detentos pode comprometer a saúde deles e também do restante da população. Ele afirma que as pessoas que cumprem pena, por estarem confinadas em um só local, são mais vulneráveis a enfermidades e epidemias.

Em Roraima, por exemplo, a Secretaria Estadual de Saúde divulgou recentemente que os presos da Penitenciária Agrícola do Monte Cristo, em Boa Vista (RR) foram diagnosticados com piodermite – uma infecção de pele causada por bactérias e resultante de uma sarna não tratada. Outros, apresentavam doenças contagiosas, como tuberculose e Aids.

“As penitenciárias não fazem um check-up nos detentos prestes a ganhar a liberdade, para saber qual a atual situação de saúde deles. Por isso, é essencial ajudar os presos a manterem a higiene pessoal em dia, pois assim, podemos evitar que tanto os detentos como a população, sejam contaminados com alguma dessas patologias”, finalizou Bucker.

O que doar?

Se você é uma das pessoas que fará parte desse mutirão da solidariedade, fique atento as exigências impostas pelos presídios em relação aos donativos destinados a quem cumpre pena:

• Escova de dente
• Absorvente
• Papel higiênico
• Creme dental
• Shampoo e condicionador
• Sabonete da cor branca
• Barbeador de uma lâmina