Brasil Campanha auxilia mulheres vitimadas pela violência doméstica

Campanha auxilia mulheres vitimadas pela violência doméstica

“Você não está sozinha” oferece assistência psicológica, jurídica e social; a cada hora, 30 mulheres são agredidas no Brasil

Programa dos CEAMs valoriza a autoestima feminina

Programa dos CEAMs valoriza a autoestima feminina

Divulgação

No último dia 30, o Movimento Sócio Abrigo deu início à campanha Você não está sozinha para ajudar mulheres vitimadas pela violência doméstica. O objetivo da iniciativa é oferecer serviços de assistência psicológica, jurídica e social nos CEAM (Centros Especializados de Atendimento à Mulher) e em Casas de Acolhimento.

Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020 apontam que, a cada dia, são registrados 729 casos de agressão contra mulheres, no contexto da violência doméstica e familiar. Ou seja, por hora, 30 mulheres são agredidas no País. Muitas destas vítimas precisam sair de casa para sua proteção, e são alojadas nos CEAMs e casas de abrigo ou de acolhimento provisório.

Participaram da campanha “Você não está sozinha”, psicólogas — que apresentaram uma palestra sobre autoestima feminina —, manicures, cabeleireiras, além de apresentações musicais. No atendimento jurídico, advogadas tiraram dúvidas sobre Direito de Família, especialmente a respeito de questões como patrimônio, guarda dos filhos e divórcio.

“Por meio dos cuidados oferecidos, podemos mostrar que nos importamos com elas e com a situação que enfrentam. E mesmo diante de tudo isso, ainda podem recomeçar”, explica Ulisses Gomes, responsável pelo programa social no Brasil.

Projeto tem manicure, cabeleireira, além de shows

Projeto tem manicure, cabeleireira, além de shows

Divulgação

De acordo com o programa social USE (Universal Socioeducativo), responsável pelo Movimento Sócio Abrigo, nesse primeiro dia de campanha foram atendidas 644 mulheres, em 33 instituições localizadas em 16 estados e no Distrito Federal.

A voluntária Kênia Michelly Gomes Scur, advogada de 41 anos de idade, avalia que a ação social é de fundamental importância para as vítimas. “Conheço bem esse drama, pois vivi essa experiência na minha infância e juventude. Posso afirmar que, além do apoio social, a mulher nesse contexto necessita especialmente de ajuda emocional”.

“Para mim foi especialmente gratificante contribuir com essa iniciativa, transmitindo minha experiência de superação às mulheres que se encontram na Casa Abrigo”, conclui.

O USE é um dos programas sociais mantidos pela Igreja Universal do Reino de Deus.

Últimas