Brasil Começa hoje o teste de verificação das urnas eletrônicas para eleições

Começa hoje o teste de verificação das urnas eletrônicas para eleições

Objetivo da etapa final de testes é garantir a segurança durante a votação e o aprimoramento do sistema, evitando falhas ou fraudes no processo 

  • Brasil | Joyce Ribeiro, do R7

Começa hoje o teste final de verificação das urnas eletrônicas para eleições 2020

Começa hoje o teste final de verificação das urnas eletrônicas para eleições 2020

Reprodução

Começaram nesta quarta-feira (26) os testes finais para verificação das urnas eletrônicas que serão usadas nas eleições municipais em novembro. De acordo com o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, o processo garante a segurança do processo: "Esta é a etapa final dos testes da urna eletrônica. Momento no qual o TSE, corajosamente, abre seus sistemas para que a comunidade científica, instituições, sociedade civil e partidos busquem falhas que possam comprometer a segurança do processo", afirmou.

Segundo o presidente, o teste permite que o Tribunal aperfeiçoe, corrija eventuais falhas, "aprimore e garanta a integridade e segurança do processo de votação e permite que, em 2020, mais uma vez tenhamos eleições limpas e seguras no Brasil".

Barroso lembrou que a votação por meio de urna eletrônica é um exemplo em todo o mundo e destacou que "ninguém há de achar que eles não foram os preferidos em cada uma das eleições" citando o nome dos últimos presidentes eleitos desde Fernando Henrique Cardoso até Jair Bolsonaro.

Esta é a quinta edição dos testes públicos e é feita por peritos da PF (Polícia Federal). O presidente do TSE ressaltou ainda que várias auditorias foram realizadas ao longo das eleições e "nenhuma fraude que altere os resultados das escolhas legítimas dos eleitores foi detectada".

Mas ele fez uma ressalva relembrando que, no passado, antes das urnas eletrônicas, houve fraudes no processo eleitoral.

Já a secretária-geral do TSE, Aline Osório, explicou que a etapa de confirmação do teste de hoje é resultado dos trabalhos iniciados em 2019: "Etapa importante para as eleições municipais deste ano, que foram adiadas por causa da pandemia".

O primeiro turno será em 15 de novembro e o segundo, se necessário, em 29 de novembro. 

Peritos da PF agora verificam se as falhas detectadas em 2019 foram corrigidas

Peritos da PF agora verificam se as falhas detectadas em 2019 foram corrigidas

TSE / Divulgação

Fragilidades identificadas

O secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, disse que foram criados 13 planos de ataques, destes 10 foram executados e houve avanços em dois deles.

"O objetivo era atacar os sistemas geradores de mídia para urnas, o Gedai, que tem proteção. Os peritos conseguiram ultrapassar as barreiras, chegar ao sistema e fizeram alterações em vários arquivos, mas a urna eletrônica não reconheceu e não conseguiu executá-los porque detectou que as informações não eram íntegras", detalhou.

Os dados vão do TSE para os sistemas de cadastro e de candidaturas com assinaturas eletrônicas, uma espécie de blindagem. A partir das fragilidades encontradas pelos peritos, o TSE fez alterações e as equipes focaram em ações corretivas. Nesta quarta, o sistema será novamente testado para verificar se todas as falhas de segurança foram corrigidas. 

Testes

O TPS (Teste Público de Segurança) do Sistema Eletrônico de Votação dura três dias. "O TPS é necessário para melhorar a maturidade dos sistemas eleitorais”, destacou o gerente da Comissão Reguladora de 2019, Cristiano Peçanha.

O grupo de investigadores da PF que conseguiu detectar fragilidades na versão 2020 do sistema eletrônico de votação volta hoje ao Tribunal para checar, presencialmente, se as melhorias implementadas pela Secretaria de Tecnologia da Informação do TSE, de fato, corrigiram os problemas apontados.

Os trabalhos ocorrem no 3º andar do edifício-sede do Tribunal e podem ser acompanhados no canal do TSE no youtube.

Últimas