Brasil Comissão quer ouvir presidente da CBF sobre denúncia de assédio

Comissão quer ouvir presidente da CBF sobre denúncia de assédio

Rogério Caboclo, que nega envolvimento no caso, foi afastado por mais 60 dias das suas funções à frente do futebol brasileiro

  • Brasil | André Avelar, do R7

Caboclo alega articulação para tirá-lo da CBF

Caboclo alega articulação para tirá-lo da CBF

Lucas Figueiredo/CBF - 9/4/2019

A Comissão dos Direitos da Mulher pediu para que o presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo, seja convocado para uma reunião de audiência pública. Caboclo foi afastado da direção da entidade que comanda o futebol brasileiro por denúncia de assédio moral e sexual contra uma funcionária.

Segundo o documento assinado e protocolado pelas deputadas Tereza Nelma (PSDB-AL) e Celina Leão (PP-DF) e pelo deputado Isnaldo Bulhões Jr. (MDB-AL), ainda não há uma data para que Caboclo seja ouvido.

A notícia divulgada nesta sexta-feira acontece depois que a própria CBF decidiu prolongar por mais 60 dias o afastamento do presidente do cargo. Inicialmente, o Comitê de Ética o havia afastado por 30 dias para que respondesse à acusação interna. O caso continua sendo investigado. O dirigente pode receber uma advertência ou até ser banido do futebol.

Caboclo nega as acusações e, por meio de notas enviadas à imprensa, garante que provará sua inocência. Segundo ele, o caso envolve uma articulação política para que Marco Polo del Nero, seu antigo padrinho nos bastidores do futebol, volte ao poder na entidade que comanda o futebol brasileiro.

De Havelange a Caboclo, veja grandes cirses na trajetória da CBF

Últimas