Brasil Decreto pode facilitar importação de armas, diz Eduardo Bolsonaro

Decreto pode facilitar importação de armas, diz Eduardo Bolsonaro

Decreto será assinado nesta terça-feira (7) pelo presidente Jair Bolsonaro; para deputado, é preciso melhorar a qualidade do armamento

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

Marcelo Camargo/Agência Brasil 01.02.2019

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse nesta segunda-feira (6) que o decreto que beneficia caçadores, atiradores e colecionadores de armas, os chamados CACs, pode trazer também a flexibilização das regras de importação de armas e quebra de monopólio.

"Se não vier neste decreto, vem no próximo. Na minha opinião, é uma matéria prioritária e emergencial", afirmou, após participar da abertura da 35.ª Apas Show, em São Paulo.

Leia também: Bolsonaro marca posição política ao assinar decreto de armas

O decreto será assinado na terça-feira (7) pelo presidente Jair Bolsonaro. O deputado disse que não sabe os detalhes da medida.

Eduardo reconheceu que há resistências no governo à liberalização das importações. "Existe um entrave muito grande (à importação e quebra de monopólio) no Ministério da Defesa, a gente tem de destravar isso aí, e é uma bandeira do governo Bolsonaro", disse.

Crítico do monopólio da Taurus no país, Eduardo afirmou que é preciso melhorar a qualidade do armamento vendido. "Não adianta mais você botar uma arma no coldre do policial sem que tenha a garantia que ela vai disparar no momento certo. E muitas vezes até dispara de maneira errada, acidental", disse.