Brasil Deputados e senadores entram em recesso nesta quinta-feira

Deputados e senadores entram em recesso nesta quinta-feira

Os parlamentares só voltam aos trabalhos no dia 1º de agosto. Reforma da Previdência deve ser um dos primeiros temas em discussão

Recesso, Câmara, Senado

Deputados e senadores voltam ao trabalho em 1 de agosto

Deputados e senadores voltam ao trabalho em 1 de agosto

Agência Senado

O recesso parlamentar do Congresso Nacional começa nesta quinta-feira (18) e segue até o dia 31 de julho deste ano. Os deputados federais e senadores voltam ao trabalho no dia 1 de agosto deste ano. 

Segundo a Câmara dos Deputados, durante os períodos de recesso, "cabe a uma comissão representativa composta por deputados e senadores zelar pelas prerrogativas do Congresso Nacional e de suas Casas" e exercer as funções normais de funcionamento fora do recesso, além de representar o Congresso em eventos que possam acontecer no período. 

A comissão temporária é formada por sete senadores e 16 deputados, e igual número de suplentes.  

Os senadores que compõe a comissão são Eduardo Braga (MDB-AM), Esperidião Amin (PP-SC), Acir Gurgacz (PDT-RO), Izalci Lucas (PSDB-DF), Paulo Rocha (PT-PA), Rodrigo Pacheco (DEM-MG), Otto Alencar (PSD-BA), Nelsinho Trad (PSD-MS), Alvaro Dias (Podemos-PR), Lasier Martins (Podemos-RS), Leila Barros (PSB-DF) e Zenaide Maia (Pros-RN).

Procurada pela reportagem, a assessoria da Câmara afirmou que como a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) não foi aprovada até esta quarta-feira (17), "serão convocadas sessões não deliberativas de debates, de segunda a sexta, durante o restante do mês de julho". 

As sessões não deliberativas são de debates ou solenes, ou seja, não haverá votações durante o mês de julho. A comissão de deputados só é definida mediante a aprovação da LDO.

Reforma da Previdência

A reforma da Previdência foi um dos principais temas debatidos pelos parlamentares e autoridades do governo do presidente Jair Bolsonaro. Antes do recesso, os deputados federais aprovaram o texto da PEC (proposta de emenda à Constituição) em primeiro turno, aprovando quatro destaques. 

O texto segue para a comissão especial, onde será redigido de acordo com as mudanças e volta para a Casa, onde deve ser aprovado pela segunda vez. 

A expectativa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é entregar reforma ao Senado até o dia 9 de agosto deste ano

A reforma também precisa ser aprovada em dois turnos pelos senadores para seguir para a sanção presidencial.