Brasil Estágio: ter objetivos é primeiro passo para conseguir oportunidade

Estágio: ter objetivos é primeiro passo para conseguir oportunidade

Especialistas ouvidas pelo R7 explicam como organizar o currículo e se preparar para entrevistas profissionais

Dicas para conseguir estágio

Candidato precisa entender qual vaga quer buscar

Candidato precisa entender qual vaga quer buscar

Thinkstock

Ao entrar na faculdade, muitos estudantes já começam a pesquisar vagas de estágio e enviar o currículo para as oportunidades que consideram interessantes. Para que os estudantes se saiam bem no processo seletivo, o R7 ouviu duas especialistas, que falaram sobre como montar o currículo e como se preparar para a entrevista.

A supervisora de conteúdo do CIEE, Rosa Simone, afirma que a pessoa precisa começar o processo definindo um objetivo. “Eu acho que antes de montar o CV, a gente tem que fazer um processo de orientação do que realmente importa. Pensar o que é importante para ele, quais as vontades, qual a motivação que fará com que ele levante todos os dias”, afirma.

Currículo deve ser completo e objetivo

O currículo é o "cartão de visita" do entrevistado. Por isso, a atenção deve ser redobrada na hora de preencher o documento. Rosa afirma que é preciso ser objetivo e inserir informações que sejam interessantes para a vaga em questão. Para Rosa, o selecionador precisa "ter vontade de ler" o currículo.

O CV precisa ser dividido em partes: na primeira, o candidato deve colocar nome completo, endereço, formação acadêmica, incluindo instituição de ensino e ano de conclusão e informações que o candidato considerar relevantes para a vaga.

A supervisora de carreira da Catho, Luana Marley, diz que “as principais habilidades, cursos extras e experiências em trabalhos acadêmicos e voluntários” devem ser incluídas no documento, porque podem fazer com que o candidato se destaque.

Cursos de idiomas e informática tendem a ser muito valorizados no mercado e devem ser informados ao selecionador. Como a maior parte dos candidatos para estágio não têm experiência prévia, os que tiverem devem identificar o cargo anterior e as funções no currículo. 

Para Rosa, a formatação do currículo também importa: os candidatos devem escolher uma fonte legível, tamanho 12 para o texto e 14 para o nome. Vale um esforço para que todas as informações sejam resumidas em apenas uma página.

Luana diz que, depois que o currículo estiver pronto, o candidato deve fazer uma correção ortográfica do currículo deve ser rigorosa. “Documentos com erros de português são facilmente descartados pelos recrutadores”, afirma.

O LinkedIn também é indicado como um recurso interessante. No entanto, Rosa orienta que o candidato mantenha o perfil sempre atualizado, valorizando a criação personalizada de conteúdo para que a pessoa se destaque dentro da rede e do mercado.

Preparação para a entrevista

Luana afirma que alguns erros podem desclassificar os candidatos. “O candidato que está concorrendo a uma vaga de estágio tem que ser pontual para entrevista, pesquisar sobre a empresa, seus valores e cultura, evitar o uso de gírias e erros de pronúncia e ser transparente sobre suas habilidades e possíveis experiências anteriores”, diz.

Segundo Rosa, a primeira coisa que o candidato precisa fazer é saber qual o perfil da empresa para qual será entrevistado. “Isso vai indicar qual o tipo de vestuário que ela vai utilizar e como ela vai se portar nessa entrevista”, explica.

Nesta pesquisa, Luana afirma que é interesse procurar as perguntas mais frequentes em processos seletivos, mas que o candidato não deve se basear exclusivamente nelas. Para Luana, a pesquisa ajuda a nortear as ideias. “Decorar o texto pode transparecer algo pouco natural e muito ensaiado, fato que os recrutadores não apreciam”, comenta.

Durante a entrevista, lembre-se de que a primeira impressão é a que fica. Para Rosa, é preciso evitar os exageros e manter características que demonstrem que a higiene pessoal está cuidada, como unhas limpas e cabelo penteado.

A postura também conta durante a entrevista. “Na hora que estiver a frente do entrevistador, não esquecer que o corpo fala. Não ficar mexendo no cabelo, balançando a perna. Tudo isso vai dar a impressão de que está nervoso, inseguro. É um momento que faz parte, seja o mais natural possível”, diz Rosa.

Para evitar o nervosismo e sair bem, Luana indica que o candidato treine com antecedência. “O candidato pode treinar para este momento com um amigo ou familiar, ou até mesmo de frente ao espelho. Para algumas pessoas, a filmagem funciona muito bem. Desta forma, é possível avaliar comportamentos e vícios corporais e verbais - trabalhando esses pontos de modo a não cometê-los nas situações reais”, afirma.