Filósofo Ruy Fausto morre aos 85 anos em Paris

Segundo o sobrinho Sergio Fausto, ele sofreu um infarto enquanto tocava piano no apartamento em que morava

O filósofo Ruy Fausto morreu em Paris aos 85 anos

O filósofo Ruy Fausto morreu em Paris aos 85 anos

Renato Parada/Divulgação

Doutor em Filosofia pela Universidade de Paris I e professor emérito da Universidade de São Paulo (USP), Ruy Fausto morreu em Paris aos 85 anos. Segundo Sergio Fausto, sobrinho do filósofo, Ruy teve um infarto enquanto tocava piano.

"A família ficou muito surpresa com a morte dele. O corpo foi encontrado pela ex-esposa, em seu apartamento em Paris, onde ele estava isolado devido à pandemia de covid-19. Ele ainda tinha muitos planos, tinha uma energia intelectual impressionante. Parecia que tinha 20, 30 anos", disse Sergio Fausto.  "Ele tinha uma independência de pensamento total. Era um homem de profundas convicções socialistas e democráticas. Tinha a aspiração de um mundo mais igualitário."

Irmão do historiador Boris Fausto, Ruy Fausto era um dos principais teóricos brasileiros do marxismo. Escreveu livros como "Marx: Lógica e Política" e "A Esquerda Difícil", em que fez rigorosas análises políticas. Ele nasceu em São Paulo e radicou-se na França.

"Ruy foi um dos maiores conhecedores de Marx no Brasil. Ele se manteve ligado à esquerda, e valorizava muito a democracia. Nos últimos tempos, a defesa da democracia se tornou fundamental para a obra dele", afirmou o professor de ética e filosofia da USP  Renato Janine Ribeiro. "Ele faleceu fazendo uma das coisas que mais gostava, tocar piano."

Janine recorda de outra história do colega com o piano: “Quando houve o AI-5, ele saiu do Brasil para o Chile e, de lá, foi de navio para a França. O piano o fez companhia e ele tocava com muita frequência”.