Brasil Frota admite processo para implantar prótese no pênis

Frota admite processo para implantar prótese no pênis

Ator mudou versão após negar ao R7 existência de ação judicial

Frota admite processo para implantar prótese no pênis

Frota chegou a dizer ao R7 que ação não existia. Depois recuou

Frota chegou a dizer ao R7 que ação não existia. Depois recuou

Dario Oliveira/Folhapress - 27.10.2017

O ator e militante político Alexandre Frota admitiu nesta quinta-feira (16), em entrevista ao R7, que entrou na Justiça, em novembro de 2014, para obrigar seu plano de saúde a pagar a cirurgia de implante de uma prótese peniana.

Na última segunda-feira (13), o ator havia negado a existência do processo em outra entrevista ao R7. “Só me faltava essa. Desconheço completamente”, disse naquele dia.

Mas a reportagem teve acesso ao processo contra o plano de saúde e, confrontado novamente, o ator mudou a versão.

— Sim, realmente não lembrava do [processo contra a] Bradesco especificamente, mas é verdade, foi custeado tudo, sessão de laser injetáveis, pré-operatório, operatório e prótese.

A ação de Frota veio à tona na segunda-feira, quando a revista “Fórum” publicou a decisão do juiz Guilherme Madeira Dezem, da 44ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, que no dia 26 de outubro retirou o sigilo de 52 processos sob sua responsabilidade já arquivados, incluindo o de Frota.

Procuração assinada por Frota

Procuração assinada por Frota

Reprodução

O ator recorreu à Justiça em 25 de novembro de 2014 “queixando-se de dor extrema na região peniana próxima ao escroto” e por “dificuldades extremas em obter uma ereção peniana satisfatória”.

O advogado de Frota entrou com pedido de tutela antecipada para solicitar “imediatamente” a guia de internação e o custeio da cirurgia. A defesa afirma que o cliente recorreu a todos os métodos clínicos, como tratamentos injetáveis com medicamentos, mas “ a resposta não foi suficiente”.

O advogado de Frota critica, na ação, a prótese sugerida pelo plano de saúde, a Bradesco Saúde, que poderia causar rompimento da uretra por ser feita de hastes de metais. Em razão disso, a defesa solicita o “implante de prótese peniana inflável 3 volumes da marca Coloplast Titan OTR 3 Volumes”.

O juiz Madeira Dezem concedeu a tutela antecipada no mesmo dia, o que obrigou a operadora a pagar pela cirurgia. Em 12 de dezembro, as partes celebraram um acordo, que foi homologado pela Justiça, levando ao arquivamento do processo em janeiro de 2015.

Para Frota, o juiz “errou” ao levantar o sigilo da ação. “[Ele] não foi ético”, diz.

— Foi uma decisão dele tirar o segredo de 52 processos arquivados. Nada posso fazer. A ideia era não criar essa comoção em torno disso, como está sendo discutido, com tantas coisas importantes. Onde isso é importante?

"Pinto mole", escreveu Frota sobre jornalista

"Pinto mole", escreveu Frota sobre jornalista

Reprodução/Twitter

Ataques a adversários

Essa foi a segunda vez, em menos de um mês, que o ator criticou decisões da Justiça paulista.

Em 24 de outubro, Frota perdeu em 2ª instância um processo contra a ex-ministra Eleonora Menicucci (Políticas para Mulheres no governo Dilma Rousseff), que foi absolvida de pagar R$ 10 mil ao ator, em uma ação por danos morais, após ter declarado que Frota “não só assumiu ter estuprado, mas fez apologia ao estupro”.

Na ocasião, o ator disse, em mensagem em rede social, que um dos juízes que decidiu pela absolvição de Eleonora “julga com a bunda e não com a cabeça”.

Frota também costuma recorrer a ameaças sexuais para atingir adversários políticos, como no vídeo-resposta ao vereador Fernando Holiday (DEM-SP), o qual teria chamado o ator de "ladrão" e "tarado".

“Tarado eu sou sim, mas não por essa sua bundinha. Entendeu? Sua bundinha é seca, fraca. Se eu boto você de quatro, você não aguenta, tu morre ali mesmo. Entendeu?”, rebateu Frota.

O ator também costuma fazer menções à disfunção erétil nas redes sociais para criticar desafetos políticos. No último domingo (12), ele chamou o jornalista Juca Kfouri de “pinto mole”.

“Os dois merdas amigos de Lula covardes fanfarrões. Trajano um imbecil petista mentiroso que tem o calcanhar até a testa. Juca Pinto mole Muleke de recado de Lula”, escreveu o ator.

Questionado pelo R7, Frota diz que disfunção erétil “não é motivo de humilhação, é uma patologia”.

Perguntado então por que usar a doença como forma de crítica, o ator resume: “porque me dá vontade de chamar”.

A prótese

No acordo fechado em novembro de 2014, a Bradesco Saúde assumiu “como suas as despesas tidas no procedimento cirúrgico para colocação de prótese peniana, objeto da presente demanda, cujas despesas já foram devidamente quitadas diretamente ao estabelecimento médico”.

O modelo de prótese solicitado na ação judicial funciona como um sistema hidráulico, em que duas hastes flexíveis são acionadas por uma bomba impantada na bolsa escrotal. A vantagem dessa prótese é possuir um sistema que desinfla as hastes com apenas um toque, fazendo com que o pênis retome a posição flácida mais facilmente.

Frota confirma que a cirurgia foi realizada, mas nega que a prótese tenha sido implantada. E diferentemente do que alega seu advogado na ação, ele diz que não teve “problemas de ereção ou impotência", mas que sofreu com "curvamento lateral e enforcamento da base" do pênis.

O ator afirma que, no momento da cirurgia, não foi necessária a colocação da prótese, já que "a correção foi [feita] via enxerto".

A Bradesco Saúde afirmou ao R7 que não iria se pronunciar sobre o caso, mas ressaltou que cumpriu a determinação da Justiça.

    Access log