Brasil Governo estuda acabar com horário de verão neste ano

Governo estuda acabar com horário de verão neste ano

Economia de energia não compensaria aplicação da medida

Governo estuda acabar com horário de verão neste ano

Uso do ar-condicionado alterou padrão de consumo de energia

Uso do ar-condicionado alterou padrão de consumo de energia

Getty Images

Implementado no Brasil desde 1931, o horário de verão pode acabar em 2017. O governo federal está avaliando se a medida será implementada ou não neste ano. A principal explicação é que a economia de energia vem caindo ano após ano, com mudanças no padrão de consumo da população, e por isso não compensaria mais atrasar os relógios em uma hora.

A avaliação é feita desde o início de agosto por um grupo de trabalho da Casa Civil, após determinação do Conselho de Monitoramento do Setor Elétrico, vinculado ao MME (Ministério de Minas e Energia).

O conselho, que reúne membros do ministério e de agências do governo como a ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e a CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), debateu em reunião no início de agosto a efetividade do horário de verão, cuja economia de energia estaria próxima do zero.

“Tendo em vista as mudanças no perfil e na composição da carga, que vêm sendo observadas nos últimos anos, os resultados dos estudos convergiram para a constatação de que a adoção desta política pública atualmente traz resultados próximos à neutralidade para o consumidor brasileiro de energia elétrica, tanto em relação à economia de energia, quanto para a redução da demanda máxima do sistema”, informa a ata do encontro.

Segundo a Casa Civil, estudo da ONS encomendado pelo MME aponta que “o horário de verão não gera uma economia que justifique a medida”. Procurados, ONS e MME não deram detalhes do estudo nem comentaram o possível fim do horário de verão.

Levantamento do MME divulgado em julho passado apontou que a mudança nos hábitos de consumo e o avanço da tecnologia não têm resultado em mais economia de energia. A manutenção do horário de verão vem sendo tratada por autoridades do setor mais como uma “questão cultural”.

A mudança no padrão de consumo se deve à popularização do ar-condicionado. Se antigamente o vilão da energia era o uso do chuveiro elétrico no período entre 17h e 20h, o problema agora é o ar-condicionado, que consome energia durante a madrugada e também no meio da tarde, entre as 14h e 15h.

Não há prazo para a Casa Civil divulgar o resultado da análise, mas a decisão deve sair nos próximos dias, já que o horário de verão está previsto para começar em menos de um mês, no dia 15 de outubro.

O horário de verão foi aplicado no Brasil pela primeira vez em 1931, mas de forma ininterrupta somente a partir de 1985. Em 2008 foi regulamentado por decreto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O último período do horário de verão durou 126 dias, entre 15 de outubro e 18 de fevereiro, proporcionando economia de R$ 159,5 milhões, segundo o MME, com o não acionamento de usinas termelétricas.

    Access log