Governo federal edita decreto que proíbe queimadas por 120 dias

Decreto surge em meio à pressão de investidores e aumento da imagem negativa do Brasil no exterior por conta do desmatamento

Decreto suspende permissão ao emprego do fogo

Decreto suspende permissão ao emprego do fogo

Joédson Alves/Efe - 23.8.2019

O governo federal editou decreto proibindo as queimadas em todo o país por 120 dias, na esteira da pressão interna e de investidores internacionais, e da imagem negativa do país no exterior por sua gestão ambiental.

Segundo nota da Secretaria-Geral da Presidência da República, divulgada pela assessoria de comunicação, o decreto suspende permissão ao emprego do fogo durante esse período, tradicionalmente marcado por maior incidência de focos de incêndio.

Leia mais: Desmatamento na Amazônia cresce pelo 14º mês seguido

A nota explica que a maior parte das queimadas ocorre entre os meses de agosto e outubro, e informa ainda que previsão do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos aponta para forte estiagem durante os meses de julho, agosto e setembro.

Segundo a Secom, dados recentes do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontam para uma "grande quantidade" de focos de queimadas no primeiro semestre em diversos biomas.

A intenção de edição do decreto foi anunciada na última semana, em reunião entre autoridades do governo e representantes de fundos estrangeiros.

A suspensão das queimadas só não será aplicada em casos específicos, como práticas de prevenção e combate a incêndios, atividades de pesquisa científica autorizadas pelo órgão ambiental competente, e controle fitossanitário, além de queimas controladas em áreas fora da Amazônia Legal e no Pantanal, quando imprescindíveis à realização de práticas agrícolas.

No início do mês, dados do governo mostraram que o número de focos de incêndio na floresta amazônica do Brasil aumentou 20% em junho e atingiu o nível mais alto em 13 anos para este mês.