Brasil Guedes anuncia doação de 10 milhões de doses por empresários

Guedes anuncia doação de 10 milhões de doses por empresários

Ministro também anunciou reunião com ministério da Saúde. Empresariado faz lobby para aplicarem vacinas em funcionários

  • Brasil | Do R7

Lei atual de compra de vacinas por empresas obriga a doação integral de doses ao SUS

Lei atual de compra de vacinas por empresas obriga a doação integral de doses ao SUS

Marcelo Camargo/Agência Brasil - 08.03.2021

O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou nesta quinta-feira (25) a doação de 10 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 a serem doadas pelos empresários Carlos Wizard e Luciano Hang. Eles apresentaram a iniciativa em reunião com Guedes. A doação, de acordo com o ministro, será apresentada ao novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em encontro com os empresários nesta sexta-feira (26). 

"Ele já marcou com o ministro Queiroga, da Saúde, e ele vai fazer a doação de dez milhões de vacinas com dois empresários de corações macio e força, capacidade, empreendedores, sabem negociar, conseguiram essas dez milhões de vacinas, estão lá fora, esperando para trazer", disse Guedes.

Carlos Wizard também se pronunciou, ao lado do ministro, para voltar a pedir pela flexibilização da lei de compra de vacinas pela iniciativa privada. Junto com Hang, ele faz lobby para que as empresas possam comprar as vacinas para aplicar nos próprios funcionários. 

"A possibilidade do empresariado poder comprar vacinas e doar para seus funcionários tirariam as pessoas do SUS. Nós temos amigos que também querem comprar a vacina e doar para seus funcionários", disse Luciano Hang.   

Atualmente, enquanto os grupos prioritários não forem totalmente vacinados, empresas privadas que comprarem doses de vacina devem doá-las integralmente ao SUS (Sistema Único de Saúde). A lei, porém, já tem sido alvo de judicialização e foi considerada inconstitucional pela Justiça Federal do Distrito Federal também nesta quinta-feira. 

Ainda de acordo com a lei sancionada por Bolsonaro, depois da imunização dos grupos prioritários, as empresas ainda terão que doar metade das vacinas adquiridas ao SUS, com a possibilidade de utilizarem a outra parte para aplicar em seus funcionários. Empresários não poderão vender as doses restantes.

Guedes ainda estipulou que em até dois meses o governo federal deve vacinar o grupo prioritário, imunizando 1 milhão de pessoas por dia ao final desse período. Até agora, mais de 13 milhões de Brasileiros foram vacinados, cerca de 6% da população. 

Últimas