Investigados na Operação Skala, amigos de Temer são soltos em SP

Nove pessoas que tinham sido detidas deixaram a sede da Polícia Federal, incluindo José Yunes e o coronel aposentado João Baptista Lima Filho

Yunes deixou a carceragem da PF

Yunes deixou a carceragem da PF

Marcelo Chello/ CJ Press/ Estadão Conteúdo - 31.03.2018

Os nove presos da Operação Skala foram soltos por volta das 23h30 desta sexta-feira (31) da Superintendência da Polícia Federal no bairro da Lapa, na zona oeste de São Paulo. 

A Polícia Federal cumpriu a decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, que determinou a liberação dos detidos.

Eles cumpriam prisão temporária por serem investigados no âmbito do inquérito da MP dos Portos, que apura o pagamento de propina a empresas que atuam no Porto de Santos.

Entre os liberados estão José Yunes, amigo e ex-assessor do presidente Michel Temer, o ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi e o coronel aposentado da PM João Baptista Lima Filho, também amigo de Temer. A PF também liberou Antônio Celso Grecco, empresário dono da Rodrimar. 

O pedido de liberdade veio da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que alegou que com buscas e apreensões nos endereços relacionados aos suspeitos, além dos depoimentos dados por eles, o objetivo da operação teria sido alcançado. 

As prisões foram feitas na última quinta-feira (29). De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), três suspeitos ainda estariam fora do Brasil.