Brasil Liberar FGTS sem reforma é voo da galinha, não adianta, diz Guedes

Liberar FGTS sem reforma é voo da galinha, não adianta, diz Guedes

Para o ministro, não adianta dar esse estímulo antes da reforma, mas na semana disse que o governo estuda a medida para ajudar a economia 

O ministro da Economia, Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes

Jornal de Brasília

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que liberar saques de recursos do FGTS antes da reforma da Previdência é "voo de galinha". "Não adianta dar esse estímulo antes da reforma. A economia está parada no fundo do poço, não está afundando mais, mas, para subir, só com reformas", afirmou, em sessão na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados.

Leia também: Vítimas das chuvas de abril no Rio vão poder sacar FGTS 

Na semana passada, Guedes disse que o governo estuda liberar saques de contas do FGTS e do PIS/Pasep, para injetar recursos na economia.

Militares

Guedes disse que cabe ao Legislativo enquadrar ou não os militares nas regras propostas pelo governo para a reforma da Previdência.

"A resposta é simples: os senhores legislam. Quando me perguntam sobre isso eu coloco um espelho. Os senhores que mudem os projetos, que coloquem os militares no regime geral", respondeu. "Nós fizemos a nossa parte e colocamos todo mundo na Previdência", completou.

Capitalização

O ministro também disse que o Congresso Nacional pode realizar a reforma da Previdência sem aprovar, em um segundo momento, a proposta de criação do regime de capitalização. "As duas coisas não são indissociáveis", afirmou.

Guedes voltou a dizer que não há alternativa à reforma da Previdência, mas que vai acatar o resultado das votações no Legislativo. "Minha obrigação é esclarecer e acatar resultado político final", completou.

Investimentos

Guedes voltou a dizer que a aprovação da reforma da Previdência destravará os investimentos privados no País. "Uma reforma forte bota o Brasil para crescer. Os investimentos serão disparados imediatamente. Vamos sentir rápido esse bafo do crescimento", afirmou. "Há muito investimento vindo para os setores de óleo, gás e saneamento", completou.

Quente

O clima na audiência voltou a esquentar depois de o deputado Rui Falcão citar, pela segunda vez, investigações contra Guedes relacionadas a fundo de pensão. "A mera menção a fundos deixou o senhor exaltado. Eu sou inocente e o senhor geriu o fundo. O senhor faz acusações infundadas", disse Falcão.

O deputado rebatia declarações anteriores de Guedes. "Minha experiência foi levantar fundos de investimentos. Sem ofensa, sua experiência é com quem derrubou fundos?", questionou o ministro.