Brasil Número de casamentos cai pelo segundo ano consecutivo, diz IBGE

Número de casamentos cai pelo segundo ano consecutivo, diz IBGE

Após bater recorde em 2015, número de uniões civis caiu para pouco mais de 1 milhão em 2017. Número de separações foi de 373.216

Registros civis

Brasil teve 1.070.376 casamentos em 2017

Brasil teve 1.070.376 casamentos em 2017

Pexels - 31.10.2018

O número de casamentos registrados no Brasil recuou 2,3% em 2017, chegando a 1.070.376 uniões civis, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (31).

A queda é a segunda consecutiva, depois do recorde de casamentos registrados em 2015. As informações fazem parte do levantamento "Estatísticas do Registro Civil", realizado pelo IBGE anualmente.

A média de idade dos brasileiros que se casam com um parceiro do sexo oposto é de 30 anos para os homens e 28 para mulheres. 

Considerando os casamentos entre pessoas do mesmo sexo, houve aumento de 10%. Estes casais represetam 0,5% do total de registros no país. Neste caso, a idade média ao casar é de 34 anos para homens e 33 para mulheres. 

Leia também: Concessão de guarda compartilhada triplica em três anos

Um casamento brasileiro dura, em média, 14 anos. No ano de 2007, a média era de 17 anos. Esse período considera a data do casamento e a data da sentença ou escritura do divórcio. 

O número de divórcios também aumentou pelo segundo ano consecutivo (8,3% de 2016 para 2017). Foram registradas 373.216 separações no ano passado.

A maior parte dos divórcios aconteceu em famílias com filhos menores de idade (45,8% do total). 

Por esse motivo, percebe-se também um aumento nos processos de guarda compartilhada, de 16,9% para 20,9% em 2017. 

A gerente da pesquisa, Klívia Oliveira, afirma que é o segundo ano consecutivo em que há redução de casamentos e aumento de divórcios. "A proporção é de três casamentos para cada divórcio", afirma.

Segundo o IBGE, as estatísticas reúnem informações sobre "nascidos vivos, casamentos, óbitos e óbitos fetais informados pelos Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, bem como sobre os divórcios declarados pelas Varas de Família, Foros, Varas Cíveis e Tabelionatos de Notas".

Maternidade

A pesquisa do IBGE mostra também que as mulheres estão adiando a maternidade. Dos 2,86 milhões de nascimentos registrados no Brasil em 2017, em 35,1% deles as mães tinha 30 anos ou mais. Segundo Klívia, "as mulheres vêm adiando a maternidade porque a proporção de mães que tiveram filhos na faixa dos 20 anos ou menos vem caindo gradativamente. A mulher também vem se casando mais tarde, o que colabora para o crescimento da taxa de fecundidade em mulheres após os 30 anos de idade”. 

O número de nascimentos cresceu 2,6% em comparação com 2016, considerando que o número pode ser ainda maior, já que a pesquisa leva em conta os nascimentos oficializados em cartório.