Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Notícias R7 – Brasil, mundo, saúde, política, empregos e mais
Publicidade

Ofício mostra pedido do Brasil sobre navios gregos suspeitos por óleo 

Documento enviado pela Marinha do Brasil para a Guarda Costeira da Grécia pede dados para a investigação de 5 navios suspeitos do crime ambiental

Brasil|Márcio Neves, do R7


Até então somente o Navio Bouboulina era conhecido como suspeito por óleo
Até então somente o Navio Bouboulina era conhecido como suspeito por óleo

A reportagem do R7 teve acesso, com exclusividade, ao documento enviado pela Marinha do Brasil para o diretor de embarcações da Guarda Costeira da Grécia, que solicita informações sobre cinco navios apontados como suspeitos pelo óleo que vem aparecendo nas praias do nordeste brasileiro.

Leia mais: Outros 4 navios são investigados como suspeitos por óleo no NE

Apesar de estar datado de 12 de outubro, pessoas ligadas ao Ministério de Assuntos Marítimos da Grécia afirmam que o documento só teria sido entregue na semana passada, quando veio ao público a informação.

No documento, o diretor geral de navegação da Marinha do Brasil, Marcelo Francisco Campos, pede ao órgão do governo da Grécia que "notifique os navios listados abaixo como suspeitos de derramamento de óleo que tenham surgido na costa nordeste do Brasil, pois navegaram perto da área afetada durante o período em que considera-se que a descarga ocorreu".

Publicidade
Documento teria sido enviado em 12 de outubro para o governo da Grécia
Documento teria sido enviado em 12 de outubro para o governo da Grécia

Além do navio Bouboulina, da empresa Delta Tankers, o documento pede informações dos navios Maran Apollo e Maran Libra, da empresa Maran Tankers, Minerva Alexandra, da empresa Minerva Marine, e Cap. Pembroke, da Euronav, todos de bandeira grega.

Leia também: Marinha envia maior navio de guerra para o combate ao óleo

Publicidade

O documento diz ainda que "a solicitação faz parte de uma lista de medidas que buscam identificar e responsabilizar o autor, que violou, voluntária ou involuntariamente, convenções internacionais e a lei brasileira e deve estar sujeito às penalidades previstas pela lei". 

A reportagem do R7 procurou a Marinha do Brasil que confirmou o envio do documento e afimou que o procedimento faz parte das "investigações sobre a fonte e as circunstâncias do derramamento do óleo que chegou à costa brasileira".

Publicidade

Procuramos também o Ministério de Assuntos Marítimos da Grécia, questionando sobre os procedimentos que envolvem este pedido, mas não recebemos resposta até a publicação desta reportagem.

Também entramos em contato com as empresas proprietárias dos navios citados no documento. Maran Tankers, Minerva Marine e Euronav, não retornaram aos telefonemas e e-mails enviados.

Apenas a Delta Tankers enviou uma nota confirmando que foi notificada pelo departamento grego de navegação marítima e que "vai colaborar com o processo e possuí documentos, vídeos e diários de bordo" que podem comprovar que o navio Bouboulina não seria o responsável pelo óleo que atinge o nordeste brasileiro.

Minerva Alexandra, Cap Pembroke, Maran Apollo e Maran Libra, outros quatro navios suspeitos por óleo no NE
Minerva Alexandra, Cap Pembroke, Maran Apollo e Maran Libra, outros quatro navios suspeitos por óleo no NE

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.