Operação contra mineração ilegal no Amapá prende 11 pessoas

Danos ambientais causados por atividade são "incalculáveis", diz PF

Operação contra mineração ilegal no Amapá prende 11 pessoas

Grupo usou metais pesados na extração de ouro

Grupo usou metais pesados na extração de ouro

EBC

A Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra 11 pessoas nesta quinta-feira (30), em uma operação conjunta com MPF (Ministério Público Federal) para combater a mineração ilegal no Amapá.

Também foram expedidos pela Justiça oito mandados de condução coercitiva (quando o investigado é levado para prestar depoimento), e 30 ordens de busca e apreensão. Mais de R$ 113 milhões em bens foram bloqueados.

A operação investiga uma quadrilha que atua na área do Lourenço para explorar ouro em larga escala, disfarçando as atividades como pesquisa mineral e lavra artesanal de pequena monta. “Os danos ambientais são incalculáveis”, diz a PF em nota.

O prejuízo ao meio ambiente teria ocorrido porque o grupo usou substâncias tóxicas e metais pesados, como mercúrio e até cianeto (mortal) para aumentar a exploração de ouro na região.

A Polícia Federal suspeita de ao menos 24 mortes em decorrência de condições precárias de trabalho, a maioria por soterramento. Também foi apurado que os garimpos ilegais usavam mão de obra em regime análogo à escravidão.