Operação Lava Jato
Brasil Oposição quer convocar Moro para explicar mensagens vazadas

Oposição quer convocar Moro para explicar mensagens vazadas

Parlamentares estudam requerimentos para convocar ida do ministro ao plenário da Câmara e analisam a criação de uma CPI para investigar o caso

Moro

Convocação deve ser aprovada em duas instâncias

Convocação deve ser aprovada em duas instâncias

Fátima Meira/Futura Press/Folhapress - 8.5.2019

Deputados de oposição planejam apresentar requerimentos para convocar o ministro da Justiça, Sergio Moro, para que ele preste explicações sobre o suposto conteúdo de mensagens trocadas por ele, quando ainda era juiz federal, e por integrantes do Ministério Público Federal, como o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, divulgado pelo site The Intercept Brasil.

De acordo com o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), um dos requerimentos será para convocar Moro a prestar esclarecimentos ao plenário da Câmara e outro para que ele compareça à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Para que o ministro seja convocado, no entanto, os pedidos devem ser aprovados nas duas instâncias.

A Polícia Federal instaurou há cerca de um mês um inquérito para investigar ataques feitos por hackers aos celulares de procuradores da República que atuam nas forças-tarefa da Lava Jato em Curitiba, no Rio e em São Paulo. Há quatro dias, outro inquérito foi aberto para apurar ataques ao celular de Moro.

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), afirmou que os fatos divulgados "demonstram de maneira inequívoca uma relação de promiscuidade que ultrapassa todos os limites éticos, legais que envolvem e definem a relação de integrantes do poder judiciário e integrantes do ministério público".

Após vazamentos de conversas, clima é de cautela e reuniões em Brasília

Para o petista, as conversas revelam que o processo de condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi articulado para impedi-lo de se candidatar novamente à Presidência da República.

Segundo Pimenta, está em análise também a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o caso, mas uma decisão só será tomada após uma reunião dos parlamentares da oposição na tarde desta segunda-feira (10).