Brasil Pelo Facebook, ministro diz ter sido hostilizado em bar de Belo Horizonte

Pelo Facebook, ministro diz ter sido hostilizado em bar de Belo Horizonte

Petista ouviu acusações de corrupção contra ele após almoço com amigos

Pelo Facebook, ministro diz ter sido hostilizado em bar de Belo Horizonte

Patrus Ananias tentou dialogar com os manifestantes em um bar da capital mineira

Patrus Ananias tentou dialogar com os manifestantes em um bar da capital mineira

Marcelo Camargo/06.01.2015/Agência Brasil

Em seu perfil pessoal no Facebook, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, contou que foi hostilizado por um homem depois de almoçar em um bar de Belo Horizonte, neste domingo (8).

Patrus relata que estava prestes a deixar o local quando o homem sentado próximo à porta o acusou de corrupção e levantou cartazes com as palavras “Fora PT” e “Fora Dilma”. Ele estava acompanhado da esposa e de amigos.

Ao ser abordado pelo manifestante, o ministro tentou conversar e pediu que ele listasse as acusações contra ele. Diante disso, o homem teria dito que as denúncias tinham referência ao PT, partido de Patrus.

— Algumas mesas ao redor, articuladas a essa primeira, começaram a ampliar o barulho, tentando nos intimidar. Não arredamos pé. Respondemos às acusações sem fundamento, exigimos respeito, mantivemos a firmeza. O acusador da primeira mesa rapidamente foi embora em silêncio, enquanto nós permanecemos ali.

Leia mais notícias de Brasil e Política no R7

Mantega é hostilizado em almoço com a família em São Paulo

Patrus comentou ainda que manifestações como a que aconteceu não vai tirar ele ou a família das ruas de Belo Horizonte, e disse que o País precisa continuar com o diálogo. O post do ministro teve cerca de 8 mil curtidas e 3 mil compartilhamentos no Facebook.

— Nenhuma reação de uma manifestação organizada, travestida de espontânea, vai nos intimidar e limitar nosso direito de sentar com os amigos e a família em um bar numa tarde de domingo em qualquer cidade. Porque este não vai ser o país do ódio generalizado.

    Access log