Brasil Pesquisa exclusiva: conheça o perfil do presidente que o brasileiro quer

Pesquisa exclusiva: conheça o perfil do presidente que o brasileiro quer

Levantamento divulgado pela RecordTV e pelo R7 aponta que presidente ideal não pode estar envolvido em processos com a Justiça

Perfil do presidente que o brasileiro quer

Maioria dos brasileiros querem presidente homem

Maioria dos brasileiros querem presidente homem

Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

A maior parte dos brasileiros não quer que o próximo presidente eleito esteja envolvido em processos com a Justiça. Este perfil foi levantado pela “Pesquisa de Opinião Pública — As Características Ideais do Futuro Presidente do Brasil”, divulgada nesta quarta-feira (12) e encomendada pela RecordTV e pelo R7 ao instituto Real Time Big Data.

Em meio a escândalos de corrupção e desvios éticos, 85% dos entrevistados querem que o próximo presidente não esteja sendo investigado.

Outros 15% afirmam que o presidente pode ser investigado, porque “é normal ter processos”. A maioria (72%) também quer que o presidente tenha apoio de políticos e partidos, considerando esta uma característica importante para a governabilidade.

O coordenador da pesquisa, Bruno Soller, avalia que o perfil do presidente vai de acordo com a região em que o eleitor vive.

— Existe grande variação regional quanto ao perfil do presidente. Cada região projeta a figura do presidente na sua realidade. Alguns dados interessantes, como na região Sul, em que 92% da população projeta um presidente de cor branca, pois lá tem um maior contigente de brancos. Quando vai para o Nordeste, eles projetam um presidente, se possível, gordo, porque lá ganho de peso é visto como prosperidade. As regiões projetam como se veem representadas.

No Brasil, brancos são preferidos (75%), seguidos por negros (15%), pardos (4%), orientais (3%) e indígenas (3%).

No Sudeste, a preferência é por brancos (71%), negros (25%), pardos (2%), orientais (2%) e indígenas (0%), nesta ordem. A região Nordeste é mais equilibrada: brancos (63%), negros (29%), pardos (7%), indígenas (1%) e orientais (0%). No Norte, os brancos também são os preferidos, com 81%, seguidos dos negros (11%), pardos (4%), indígenas (4%) e orientais (0%). No Centro-Oeste, 75% preferem os brancos, 21% os negros, enquanto 2% preferem pardos, 2% os orientais e 0% os indígenas. No Sul, conforme mencionoou Soller, 92% preferem brancos, seguidos por negros (6%) e orientais (2%) — indígenas e pardos não chegaram a 1%.

Para os entrevistados, os assuntos que devem ser priorizados na pauta do próximo presidente são combater a corrupção (21%), recuperar a economia e gerar empregos (20%), resolver o caos da saúde (18%), resolver de uma vez por todas a questão da segurança pública (17%), revolucionar a educação (13%) e se preocupar mais com os pobres, com atenção ao desenvolvimento social (11%).

Ainda segundo Soller, os dados apontam um perfil mais conservador do eleitor brasileiro.

— O brasileiro pretende votar em um presidente que tenha alguns princípios mais conservadores. E o eleitor também se mostra conservador. Por mais que os jovens já estejam mais liberais, ainda há uma tendência mais conservadora mesmo entre eles.

Arte/R7

Histórico do presidente eleito

Os brasileiros querem que o presidente eleito venha de uma família pobre, acredite em Deus, tenha experiência política e formação universitária.

Do total de entrevistados, 89% afirmam ser importante que o eleito acredite em Deus e 53% querem que ele seja de família pobre.
A carreira política anterior é fundamental para a maioria (80%). Além disso, a formação universitária também é um tema muito importante para os brasileiros, já que 77% dos entrevistados consideram uma caracterísitica desejável do próximo presidente. 

Porte físico do futuro presidente

O presidente ideal para os brasileiros é um homem entre 50 e 60 anos, branco e gordo. A maioria (87%) afirma que o eleito não precisa ser bonito. 

Segundo a pesquisa, 65% dos entrevistados querem que o próximo presidente seja um homem. Quando o assunto é a cor de pele, a diferença é ainda maior. 

Pensando no tipo físico do presidente, há maior variação nas respostas: 38% querem um presidente gordo; 32%, magro ou esbelto e 30%, musculoso ou atlético.

Metodologia da pesquisa

A pesquisa foi feita por telefone entre os dias 6 e 8 de junho deste ano e ouviu 2.000 pessoas e a margem de erro é de 3 pontos percentuais.

Soller explica que a pesquisa conta com um sistema de verificação dos perfis entrevistados.

— Na metodologia, usamos um sistema nosso chamado Real Check. Das amostras, 10% são verificadas pelo comportamento das pessoas entrevistadas nas redes sociais, para que tenhamos mais precisão nas informações. Se virmos que o comportamento é diferente das respostas, desconsideramos da amostra.

Arte/R7