Polícia faz operação na casa de jovem picado por naja em Brasília

São cumpridos mandados de busca e apreensão na casa de Pedro Henrique Santos, de 22 anos, suspeito de tráfico de animais, e na de amigos do jovem

Aquário com uma das cobras encontradas na casa do jovem

Aquário com uma das cobras encontradas na casa do jovem

Divulgação

A Polícia Civil faz uma operação na casa de Pedro Henrique Santos, de 22 anos, o estudante de veterinária que foi picado por uma cobra naja africana, no último dia 7, e que também é suspeito de tráfico de animais. São cumpridos mandados de busca e apreensão no local. 

O caso começou a ser investigado após o acidente. Pedro ficou internado em estado grave, mas recebeu alta na segunda-feira (13). A suspeita é de que o jovem criava o animal em casa ilegalmente.

Policias na casa de estudante em Brasília

Policias na casa de estudante em Brasília

Divulgação

Além dos mandados na casa de Pedro, a polícia também tem equipes nas casas de amigos do suspeito. Os investigadores querem descobrir indícios de tráfico de animais e maus tratos, para desarticular um possível esquema internacional.

A expectativa é que o estudante seja intimado para prestar esclarecimentos sobre o caso ainda esta semana. 

Novas descobertas

O Batalhão de Polícia Militar Ambiental encontrou, no dia 9 de julho, em uma área rural de Planaltina, que fica a cerca de 40 quilômetros de Brasília, mais 16 serpentes escondidas em caixas. Segundo a corporação, a descoberta tem relação com a naja encontrada anteriormente.

A operação foi motivada por uma denúncia anônima. O dono da chácara onde as serpentes foram encontradas informou que não sabe como os animais foram parar ali. As serpentes também serão encaminhados ao Ibama.