Brasil Polícia faz perícia na cela onde Elias Maluco foi encontrado morto

Polícia faz perícia na cela onde Elias Maluco foi encontrado morto

Preso pelo assassinato do jornalista Tim Lopes foi encontrado morto em presídio de Catanduvas (PR). Advogada da família fala em suicídio

  • Brasil | Do R7, com informações da Record TV

A polícia faz a perícia na cela onde o traficante Elias Maluco foi encontrado morto. As causas da morte do traficante ainda não foram esclarecidas, mas a polícia já está investigando. 

Elias Pereira da Silva, de 54 anos, foi encontrado morto nessa terça-feira (22) em sua cela no presídio de Catanduvas (PR). Ele era um dos traficantes mais perigosos e foi preso em 2002. Ele é apontado como chefe de uma facção criminosa que controla várias comunidades no Rio de Janeiro.

O bandido foi condenado, em 2005, a 28 anos e seis meses de prisão por ser o mandante do assassinado do jornalista Tim Lopes em junho de 2002. Mesmo dentro de um presídio federal, elias teria exercido funções de liderança no grupo, conforme denúncia do Ministério Público.

Elias Maluco

Elias Maluco

Reprodução Record TV

No ano passado, Elias teve um pedido de habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal, mas continuou preso. Agentes da Polícia Federal fizeram a perícia na cela. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal da cidade de Cascavel, no Paraná, onde fica o presídio que ele estava.

Assistentes sociais falam em suicídio, diz advogada

A família de Elias Maluco, encontrado morto nesta terça-feira (22) na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná, foi informada por assistentes sociais do local que o condenado cometeu suicídio, diz a advogada de defesa Lucelia Gouveia.

Por meio nota, o Depen (Departamento Penitenciário Nacional) confirmou a morte, mas não deu detalhes de como Elias morreu. O órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública informou apenas que a família foi notificada pelo Serviço Social da unidade prisional. Segundo o Depen, o local da morte foi preservado até a chegada da Polícia Federal, responsável por fazer a perícia.

Lucelia, que defendia o condenado pela morte do jornalista Tim Lopes, disse que tinha uma reunião com Elias às 16h desta terça-feira. Quando chegou à penitenciária, funcionários da unidade teriam informado que ele não queria recebê-la. Somente depois ela descobriu que ele já estava morto.

Últimas