Brasil Polícia Federal mira contratos de TI assinados por empresas públicas

Polícia Federal mira contratos de TI assinados por empresas públicas

Grupo criminoso ganhou licitações em valor superior a R$ 15 milhões entre 2017 e 2018: dinheiro era lavado em loja de vinhos

  • Brasil | Do R7

PF cumpre 50 mandados em 5 estados e no DF

PF cumpre 50 mandados em 5 estados e no DF

Sergio Moraes - 28.07.2015

A PF (Polícia Federal) está nas ruas nesta terça-feira (29) para cumprir mandados da Operação Bouchonée, que apura desvio de recursos públicos por meio de contratações fraudulentas de uma empresa do ramo de TI (tecnologia da informação) nos anos de 2017 e 2018.

Estão sendo cumpridos 50 mandados de busca e apreensão em endereços situados no Distrito Federal, Goiás, Rio de Janeiro, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.

São investigados contratos firmados pelo antigo Ministério da Integração Nacional, extinto em 2019 INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) e Funasa (Fundação Nacional de Saúde}.

Segundo as investigações, os contratos totalizaram mais de R$ 15 milhões.

A Justiça Federal também determinou o bloqueio do valor aproximado de R$ 22 milhões nas contas dos investigados, além do afastamento de servidores públicos de suas funções.

Para lavar o dinheiro desviado dos órgãos públicos, os investigados utilizavam lojas de vinhos. Daí vem o nome da operação: bouchonée é o termo utilizado para um defeito da  bebida, que fica com gosto de rolha.

Uma das lojas, segundo a PF, recebeu transferências de mais de R$ 3 milhões da empresa de TI investigada, em um período de 4 meses.

Os envolvidos responderão pelos crimes de peculato, organização criminosa, lavagem de dinheiro, fraude à licitação, falsificação de documento particular, corrupção ativa e passiva. As penas  somadas podem chegar a mais de 50 anos de prisão.

Últimas