Brasil Presidente do Senado exalta soberania do voto popular

Presidente do Senado exalta soberania do voto popular

Eunício Oliveira (MDB-CE) diz que brasileiros escolheram novo presidente pela via democrática, em referência à Constituição de 88, que garantiu voto direto

  • Brasil | Giuliana Saringer, do R7, em São Paulo

Bolsonaro, Toffoli e Temer em sessão na Câmara

Bolsonaro, Toffoli e Temer em sessão na Câmara

Walterson Rosa/FramePhoto/Folhapress - 06.11.2018

Na abertura da sessão em homenagem aos 30 anos da Constituição Federal, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), afirmou que o voto popular e a opinião dos brasileiros prevaleceram nas eleições deste ano. Oliveira preside a solenidade que acontece na manhã desta terça-feira (6) no plenário Ulysses Guimarães, na Câmara dos Deputados, e que conta com a presença do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), e do atual presidente Michel Temer (MDB).

"Hoje inicia-se a transição entre governos. Vimos o voto democrático prevalecer", afirmou o presidente do Congresso. "[Os parlamentares eleitos] foram escolhidos de acordo com o principio da soberania popular, do voto direto", disse.

O senador declarou ter certeza de que o governo Bolsonaro honrará "os que vieram antes". "Assim, diante de um ex-presidente, meu querido presidente José Sarney, do atual presidente, Michel Temer, e do presidente eleito, Jair Bolsonaro, tenho certeza de que um governo novo, de uma nova legislatura, vamos honrar os que vieram antes de nós e continuar caminhando juntos para um futuro de prosperidade". 

Segundo a discursar, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou declarações feitas durante o processo eleitoral que sugeriram a redação de uma nova Constituição.

"A sociedade brasileira surpreendeu seus intérpretes mais atentos e reafirmou que tem na Constituição de 1988 a sua bússola", declarou.

Maia aproveitou para defender reformas legislativas, como a reforma da Previdência. "O fato de não queremos uma nova Constituição não é o mesmo que negar a necessidade de reformas. Constituições longevas passam por mudanças para continuar dialogando com o mundo", afirmou.

A mesa do evento foi formada pelo presidente Michel Temer, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Eunício Oliveira, o ex-presidente José Sarney, o deputado federal e vice-presidente do Congresso, Fábio Ramalho, e o presidente eleito, Jair Bolsonaro. 

Também estão presentes embaixadores de outros países, ministros, militares, senadores e deputados, entre outros. 

Últimas