Brasil Receita e PF fazem operação de combate a fraudes em SC

Receita e PF fazem operação de combate a fraudes em SC

Ao todo, estão sendo cumpridos 34 mandados de busca e apreensão. Dinheiro desviado soma R$ 26 milhões

  • Brasil | Do R7

Resumindo a Notícia

  • Receita e PF deflagram operação de combate a fraudes em SC
  • Criminosos atuavam na prestação de serviços a órgãos públicos
  • Ao todo, dinheiro desviado pelo grupo soma R$ 26 milhões
  • Estão sendo cumpridos 34 mandados de busca e apreensão em municípios de SC
PF e Receita fazem operação contra fraudes em SC que desviaram R$ 26 milhões

PF e Receita fazem operação contra fraudes em SC que desviaram R$ 26 milhões

Divulgação PF

A Receita Federal e a PF (Polícia Federal) deflagraram, nesta terça-feira (19), a operação Hemorragia. A ação visa desarticular dois grupos empresariais que atuam na prestação de serviços a órgãos públicos simulando distribuição de lucros e prestação de serviços por empresas fantasmas.

Leia mais: Posse de Biden terá esquema de segurança inédito nesta 4ª

Estão sendo cumpridos 34 mandados de busca e apreensão, em cumprimento de ordem judicial expedida pela Justiça Federal de Florianópolis, Santa Catarina. O dinheiro desviado, que soma mais de R$ 26 milhões, foi utilizado para o pagamento de propina a agentes públicos e seus familiares.

Ao todo, participam da operação 14 auditores-fiscais, além de agentes da Polícia Federal, Ministério Público Federal e Ministério Público junto ao Tribunal de Contas. Os mandados estão sendo cumpridos apenas em municípios de Santa Catarina.

A Receita Federal ja recuperou aproximadamente R$ 30 milhões em créditos tributários em nome de contribuintes e sócios que participavam do esquema de pagamento de propinas. Desse totoal, cerca de R$ 20,5 milhões já foram pagos e devolvidos aos cofres públicos.

O esquema

Segundo as investigações, entre 2009 e 2012, empresas de tecnologia da informação, contratadas por órgão público, transferiram aproximadamente R$ 10 milhões para uma empresa de fechada, via sumulação de distribuição de lucros. "As empresas de consultoria montaram sociedades simuladas para a distribuição de recursos, como se fossem lucro, para os familiares dos agentes públicos envolvidos", diz a Receita.

Já no período entre 2012 e 2015, contratos envolvendo o mesmo ente público transferiram quase R$ 163 milhões para uma empresa privada de saúde. De acordo com a investigação, a companhia repassou R$ 16 milhões para uma empresa de consultoria fantasma, mediante simulação de prestação de serviços. A partir daí, a empresa de consultoria retirou R$ 12,5 milhões em espécie, para ser repassado entre os "verdadeiros operadores do esquema". 

A Receita Federal estima que as autuações por sonegação nesta nova etapa podem superar a casa dos R$ 100 milhões.

Últimas