Brasil Senado aprova criação de programa de tratamento contra depressão

Senado aprova criação de programa de tratamento contra depressão

Foco é atender pessoas que apresentaram o problema durante a pandemia. Texto segue para análise da Câmara dos Deputados

  • Brasil | Da Agência Brasil

Aprovação do projeto aconteceu durante sessão semipresencial do Senado

Aprovação do projeto aconteceu durante sessão semipresencial do Senado

Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Senado aprovou, nesta quarta-feira (7), projeto de lei (PL) que cria um programa de atenção à saúde mental com foco na pandemia. O programa, de acordo com o texto, é voltado a pessoas com problemas psicológicos gerados pelo longo período de distanciamento social. O texto segue agora para a Câmara.

O projeto não detalha o atendimento, mas confere ao Sistema Único de Saúde (SUS) a competência de adotar um programa específico por meio da sua rede de atenção psicossocial e das unidades básicas de Saúde. O SUS também poderá firmar parcerias com órgãos da administração pública e com serviços privados.

O relator do projeto, Humberto Costa (PT-PE), afirmou em seu parecer que os transtornos mentais decorrentes da pandemia “estão ocorrendo em maior escala devido ao distanciamento social e ao temor causado pela possibilidade de infecção pelo vírus causador da doença”. Costa também citou “o sofrimento de parcela significativa da população decorrente das preocupações com a sobrevivência, em um momento de agravamento da crise econômica”.

O programa deverá ter a duração de 730 dias após o fim da pandemia no país, conforme reconhecido oficialmente pela autoridade sanitária federal. E deverá, ainda, priorizar o atendimento a profissionais de saúde que atuam diretamente na assistência aos pacientes com covid-19. O projeto teve apoio de todos os senadores. Foram 73 votos favoráveis, nenhum contrário.

População com medo

“Este programa é muito importante neste momento. Houve o crescimento com relação à questão da saúde mental, da violência doméstica. Hoje, 40% da população que está em casa está com depressão, com medo, preocupada”, afirmou Izalci Lucas (PSDB-DF).

O dado mencionado pelo senador foi divulgado no fim do ano passado pela professora titular de epidemiologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Marilisa Barros em um evento sobre saúde mental promovido pelo Instituto do Legislativo Paulista da Assembleia Legislativa de São Paulo.

Além disso, uma pesquisa feita no ano passado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) revelou que 80% da população brasileira tornou-se mais ansiosa durante a pandemia.

Últimas