Brasil Senado rejeita indicação de diplomata para cargo em Genebra

Senado rejeita indicação de diplomata para cargo em Genebra

Nome de Fabio Mendes Marzano para o cargo de delegado permanente do Brasil em Genebra foi rejeitado por 37 parlamentares

Reuters
Indicação havia sido aprovada por comissão na Casa

Indicação havia sido aprovada por comissão na Casa

Edilson Rodrigues/Agência Senado

O Senado rejeitou, nesta terça-feira (15), a indicação do diplomata Fabio Mendes Marzano para o cargo de delegado permanente do Brasil em Genebra, em votação com placar de 37 votos contrários e 9 favoráveis, além de uma abstenção.

Marzano, que é formado pelo IME (Instituto Militar de Engenharia), ocupa atualmente o cargo de secretário de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania do Itamaraty, tendo servido nas embaixadas da Espanha, do Peru, da Venezuela e dos Estados Unidos e na Delegação do Brasil junto à Unesco, além de ter sido chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais do STF (Supremo Tribunal Federal), segundo a Agência Senado.

Leia mais: Comissões aprovam nomes para embaixadas e agências reguladoras

O diplomata fora aprovado para o cargo em Genebra em sabatina na Comissão de Relações Exteriores do Senado, mas acabou sendo rejeitado na votação realizada no plenário da Casa.

Durante a sabatina, Marzano fora questionado pela senadora Kátia Abreu (PP-TO) sobre seu posicionamento quanto ao Acordo Mercosul-União Europeia e até que ponto a questão ambiental interfere como barreira criada pelos produtores rurais da Europa para que o tratado não ocorra, mas não respondeu.

A senadora protestou, dizendo que o fato de um indicado a embaixador em Genebra se recusar a comentar os temas apontados pelos senadores é "lamentável e envergonha o Itamaraty, o Senado e o Brasil”. A senadora acrescentou que o Itamaraty está virando “uma casa dos terrores”, onde os embaixadores estão impedidos de expressar suas opiniões. 

Últimas