Brasília Ações penais no STF aumentaram quase 68 vezes depois do 8/1, diz Rosa Weber em relatório

Ações penais no STF aumentaram quase 68 vezes depois do 8/1, diz Rosa Weber em relatório

Ministra presidiu sua última sessão na Corte nesta quarta (27); Luís Roberto Barroso toma posse como presidente na quinta-feira

  • Brasília | Gabriela Coelho, do R7, em Brasília

Rosa Weber presidiu sua última sessão no STF

Rosa Weber presidiu sua última sessão no STF

Nelson Jr./SCO/STF - 31/5/2023

A ministra Rosa Weber presidiu pela última vez uma sessão do Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira (27). Rosa se aposenta no dia 1º de outubro, por fazer 75 anos, data-limite para aposentadoria. Nesta quinta-feira (28), o ministro Luís Roberto Barroso vai tomar posse como presidente da Corte.

Na ocasião, a magistrada entregou aos ministros um relatório que apresenta o balanço da gestão, a campanha #democraciainabalada, após os ataques do 8 de Janeiro, além de julgamentos de relevância e ações de concretização dos valores democráticos.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

O documento mostra que, em consequência dos atos extremistas do dia 8 de janeiro, o acervo de ações penais em tramitação aumentou quase 68 vezes. Enquanto na data da posse da ministra Rosa Weber na presidência do STF havia apenas 17 ações penais em tramitação, 1.299 foram registradas até 8 de setembro deste ano.

"Com o olhar fixo na constante dignificação da nossa sociedade democrática, o Supremo Tribunal Federal permanece firme, vigilante e resiliente na defesa dos valores democráticos e pela concretização das promessas civilizatórias da Constituição da República", disse a ministra.

"Insere-se na memória da sociedade brasileira o malogro do atentado às instituições democráticas. Reconstituídas as instalações da Praça dos Três Poderes, a Constituição Federal segue vivificada sob o zelo desta Suprema Corte”, acrescentou.

O ministro Luís Roberto Barroso toma posse como presidente da Corte nesta quinta-feira (28), substituindo Rosa Weber. Com a mudança, o vice passará a ser o ministro Edson Fachin.

Últimas