Brasília Atleta aos 66, idoso nadou no dia mais frio da história do DF; conheça a história 

Atleta aos 66, idoso nadou no dia mais frio da história do DF; conheça a história 

Quando o termômetro marcou 1,4°C, Danilo Dantas treinava normalmente nas águas naturais do Parque Nacional de Brasília

  • Brasília | Paloma Castro*, do R7, em Brasília

Danilo Dantas no Parque Nacional de Brasília

Danilo Dantas no Parque Nacional de Brasília

Danilo Dantas/Arquivo Pessoal - 19.5.2022

Sentado na mesa do bar, o homem olhou para o chão. Pontas de cigarro o cercavam. Num susto e com a cartela na mão, ele pensou "não é possível". Perguntou para o dono do boteco: "Isso tudo fui eu, senhor Omar?"

Depois da situação, Danilo Dantas, 66, decidiu largar o cigarro e se tornou atleta para ajudar a se manter longe do vício. Mesmo no dia mais frio já registrado na história do Distrito Federal, ele não abandonou a rotina e foi nadar no Parque Nacional de Brasília, conhecido como Água Mineral. Foi na última quinta-feira (19), quando as temperaturas atingiram 1,4ºC.

Aos 40 anos, ele começou sua carreira esportiva. Até hoje, vai todas as manhãs nadar. Quando o despertador toca, às 5h30, Danilo se levanta e começa a rotina. O percurso de casa até o parque é de minutos. Às 6h, ele já está na água, faça calor ou faça frio.

Já no começo, foi incentivado por professores de natação a competir. "Viram um potencial em mim que eu não conhecia", lembra. Confiante no estímulo, ele deixou os treinadores o inscreverem nas disputas.

A estreia em competições foi em uma competição de 50 metros peito, em que conseguiu o terceiro lugar nadando ao lado de ex-profissionais. "Eu nunca imaginava que poderia chegar perto deles, daquelas feras", contou. A animação permanece. Os primeiros lugares do ranking brasileiro da categoria Master 50+ ainda têm constantemente o nome dele.

A idade chega, mas a gente não pode se sentir limitado. Eu sempre falo: 'Não se limite. Apenas comece'

Danilo Dantas

Ao lado de dois amigos, o treino no dia a dia é sagrado. Em cada sessão, eles nadam até 3 mil metros. A amizade começou nas piscinas do Água Mineral, há 20 anos.

"O esporte é bom para a saúde mental e coloca a pessoa de volta na sociedade, porque uma pessoa aposentada como eu, que só fica em casa, se torna antissocial e deprimida. A natação me possibilitou fazer amizades Brasil afora", comenta Danilo. 

Danilo hoje é o representante da natação brasiliense com mais destaque na sua faixa etária. A natação o fez conhecer todas as capitais do Brasil, assim como outros países, como Chile, Colômbia, Peru, Coreia do Sul e Rússia, e ainda virar destaque na revista da Aeronáutica, onde trabalhou.

"Eu tenho uma gratidão muito grande pelo meu antigo trabalho, que sempre me dispensou para que eu pudesse competir", diz Danilo, que era conhecido como "novo atleta" entre os colegas militares. 

*Estagiária sob supervisão de Fausto Carneiro.

Últimas