Brasília Bolsonaro comemora venda da fábrica de fertilizantes da Petrobras

Bolsonaro comemora venda da fábrica de fertilizantes da Petrobras

UFN3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados), em Três Lagoas (MS) é alvo de contrato com grupo russo Acron, informou estatal

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro

Joédson Alves/EFE - 28.01.2021

O presidente Jair Bolsonaro comemorou o acordo da Petrobras com o grupo russo Acron para a venda da UFN3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados), em Três Lagoas (MS). O tema, inclusive, será tratado na viagem da comitiva brasileira à Rússia neste mês de fevereiro.

"Dez anos depois a Petrobras anuncia sua venda para iniciativa privada. Brevemente produzirá fertilizantes para a agricultura, diminuindo nossa dependência externa", escreveu o mandatário nas redes sociais.

A publicação foi compartilhada pela ministra Tereza Cristina, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Em outro post, a titular comentou sobre a venda da UFN3. "O grupo russo Acron fechou a compra da unidade. Ótima notícia que o presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, nos deu hoje. A UFN3 terá capacidade de produção de ureia e amônia. Nosso agro tem muito a ganhar", disse.

Segundo a ministra, o tema será tratado com a Acron durante visita da comitiva brasileira à Rússia nos próximos dias – a viagem ocorre em meio às tensões e rumores de iminente invasão. "Temos reunião marcada com vários produtores de fertilizantes e eles estão nessa lista. Teremos notícias lá de quando isso vai acontecer, quando eles chegam aqui", destacou.

Em comunicado, a Petrobras informou que chegou a um acordo para as minutas contratuais para a venda de 100% da UFN3, com o grupo russo. A estatal esclarece que a assinatura do contrato depende, ainda, da tramitação na governança da empresa, após as devidas aprovações governamentais.

A UFN3 é uma unidade industrial de fertilizantes nitrogenados localizados no município mato-grossense. A construção teve início em setembro de 2011, mas foi interrompida em dezembro de 2014. Após ser concluída, terá capacidade projetada de produção de ureia e amônia de 3.600 toneladas por dia e 2.200 toneladas por dia, respectivamente. A conclusão, contudo, será de responsabilidade do comprador.

Últimas