Brasília Bolsonaro participa de formatura militar no interior de São Paulo

Bolsonaro participa de formatura militar no interior de São Paulo

É o único compromisso de acordo com a agenda oficial; previsão é que o presidente pernoite no Rio de Janeiro nesta sexta-feira (10)

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (PL)

O presidente Jair Bolsonaro (PL)

Marcelo Camargo / Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PL) participou, nesta sexta-feira (10), da cerimônia de formatura militar em Pirassununga, município no interior de São Paulo, estado governado por um de seus principais rivais, João Doria (PSDB). O chefe do Executivo tirou foto com os formados, mas não discursou.

Em pronunciamento, o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, parabenizou os formandos. "Acreditem e confiem na cadeia de comando e na lealdade de seus comandantes superiores. Eles representam a palavra oficial da força. Orgulhem-se de pertencer a uma das instituições nacionais com maior credibilidade junto à população brasileira", disse.

"O país deposita nos militares a confiança em um trabalho profissional e patriótico. E nenhum obstáculo deve desviar o Brasil do rumo do progresso, do fortalecimento da democracia e da liberdade, que externam a vontade do nosso povo, nosso verdadeiro soberano. Brasil acima de tudo", complementou  o ministro.

A turma Mihos tem 103 cadetes aviadores, 40 intendentes e 24 de infantaria da aeronáutica. Agora, com a formatura, foram declarados aspirantes a oficiais da FAB (Força Aérea Brasileira). A formatura é o único compromisso na agenda do chefe do Executivo, cuja previsão é seguir para o Rio de Janeiro ainda nesta sexta-feira.

De acordo com a agenda oficial, no sábado, está prevista a visita, às 10h, de Bolsonaro na cerimônia de declaração de Guardas-Marinha e Entrega de Espadas da Turma Capitão-de-Fragata Luis Barroso Pereira, no estacionamento externo da Escola Naval, próximo ao Aeroporto Santos Dumont (RJ).

A capital fluminense adota, desde 14 de setembro, o passaporte da vacina, documento que comprova a vacinação contra a Covid-19. Bolsonaro disse que não tomou nenhum imunizante e nem pretende. Diante desse cenário, o presidente estaria, em tese, proibido de entrar no município. A reportagem questionou a prefeitura, que informou não ser cobrado o documento em aeroporto, apenas para entrar em bares, lanchonetes, restaurantes, salões de beleza e meios de hospedagem.

Também continuará sendo exigido o certificado de vacinação nos locais previstos no decreto editado em agosto pelo prefeito Eduardo Paes (PSD): academias, clubes, estádios, cinemas, teatros, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil, atividades de entretenimento, locais de visitação turística, museus, galerias e exposições de arte, aquário, parques de diversões, parques temáticos, parques aquáticos, apresentações e drive-in, além de conferências, convenções e feiras comerciais.

Últimas