Brasília Brasil e Bolívia assinam acordo para aumentar a produção de fertilizantes

Brasil e Bolívia assinam acordo para aumentar a produção de fertilizantes

Grupo de trabalho vai realizar estudos para construção de fábricas de fertilizantes nitrogenados

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Brasil e Bolívia vão aumentar produção de fertilizantes

Brasil e Bolívia vão aumentar produção de fertilizantes

Reprodução - Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços - 30.01.2024

O Brasil e a Bolívia assinaram nesta terça-feira (30), no Palácio do Itamaraty, um memorando de entendimento para que juntos aumentem a produção de fertilizantes nos dois países. O acordo prevê a realização de estudos para construção de fábricas de fertilizantes nitrogenados.

Outro acordo entre os dois países trata-se da cooperação estratégica para estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental para a atração de investimentos em projetos com potencial de desenvolvimento em Três Lagoas (MS) e Cuiabá (MT), no Brasil; e em Porto Quijarro (Santa Cruz), Uyuni (Potosí), Copaisa (Oruro) e Santivañez (Cochabamba), na Bolívia.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços a Bolívia tem grandes reservas de gás natural, fundamental para a produção dos nitrogenados, além de minerais usados em outros tipos de nutrientes. Entretanto, carece de capacitação e de recursos para desenvolver suas cadeias.

“Carência que o memorando tenta reduzir ao prever ações de cooperação técnica, plano de desenvolvimento industrial e programa de atração de investimento, entre outras medidas”, disse a pasta.

O documento foi assinado durante a visita da chanceler boliviana, Celinda Sosa Luna, acompanhada pelos ministros de Hidrocarbonetos, Franklin Molina, e de Desenvolvimento Rural e Terras, Remmy Gonzáles. Do lado brasileiro o memorando foi assinado pelos ministros Geraldo Alckmin, do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Carlos Fávaro, da Agricultura e Pecuária (MAPA), e Alexandre Silveira, de Minas e Energia (MME).

“Celebramos um importante memorando de entendimentos sobre fertilizantes com a Bolívia, o mais novo membro do Mercosul. Vamos reduzir nossa dependência externa de insumos essenciais para o nosso campo e fortalecer nossas cadeias regionais, fazendo nosso agronegócio ganhar ainda mais competitividade”, afirmou o vice-presidente.

O Brasil é o maior parceiro comercial da Bolívia. Em 2022, a corrente de comércio bilateral totalizou US$ 3,3 bilhões, com exportações brasileiras de US$ 1,8 bilhão e importações de US$ 1,85 bilhão. A Bolívia é o principal fornecedor de gás natural ao mercado brasileiro e, nessa condição, exerce papel essencial para a segurança energética do Brasil.

Durante o encontro os representantes dos dois países também assinaram um acordo que reconhece a validade das carteiras de habilitação emitidas no Brasil e na Bolívia. A medida permite que os motoristas habilitados possam conduzir veículos no território vizinho e agilizar o trânsito rodoviário. Para quem não estabelecer residência legal, a autorização para dirigir portando o documento de seu país de origem terá validade de 180 dias contados a partir da data de entrada no território vizinho.

Com informações da Agência Brasil

Últimas