Brasília Brasil e outros 12 países assinam criação da Ameripol, a polícia internacional das Américas

Brasil e outros 12 países assinam criação da Ameripol, a polícia internacional das Américas

A Ameripol é um organismo de cooperação policial internacional contra crimes transnacionais no continente americano

  • Brasília | Giovanna Inoue, do R7, em Brasília

Brasil e outros 12 países assinaram tratado

Brasil e outros 12 países assinaram tratado

Tom Costa/MJSP - Arquivo

ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, assinou nesta quinta-feira (9), em nome do Brasil, o Tratado de Constituição da Comunidade de Polícias da América (Ameripol), que cria uma cooperação internacional entre mais 12 países da América. Com a adesão brasileira, a Ameripol passa a ser oficialmente reconhecida como organismo internacional de polícia, a exemplo da Interpol.

A Ameripol é uma organização regional dedicada ao intercâmbio de informações policiais, à realização de operações conjuntas e à capacitação de agentes dos países-membros. A missão principal do organismo é viabilizar a atuação articulada das forças de segurança pública na prevenção, investigação e combate aos fenômenos criminais transnacionais. 

Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Haiti, Honduras, Panamá, Paraguai, República Dominicana e Uruguai participaram da assinatura do ato. A sede da Ameripol será em Bogotá, a capital colombiana.

• Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
• Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
• Compartilhe esta notícia pelo Telegram
• Assine a newsletter R7 em Ponto

Segundo uma nota conjunta dos ministérios das Relações Exteriores e da Justiça e Segurança Pública, a assinatura do tratado "é demonstração da prioridade atribuída pelo governo brasileiro tanto ao fortalecimento da cooperação internacional contra o crime quanto à promoção da integração com os países da região".

Andrei Rodrigues, diretor-geral da Polícia Federal, acredita que a nova entidade vai potencializar o intercâmbio de dados entre os países-membros e entre a Ameripol e parceiros, além da criação de equipes conjuntas de operação. De acordo com Rodrigues, o organismo é o terceiro mais importante bloco de cooperação policial internacional do mundo — depois da Interpol e da Europol.

Ele afirma que a organização estuda, para 2024, a criação de uma rede virtual contra o terrorismo, radicalismos violentos e crimes de ódio.

100 anos de Interpol

O Ministério da Justiça e Segurança Pública sediou, nesta quarta-feira (8), a comemoração dos 100 anos da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol), fundada em 1923, com sede em Lyon, na França, e que tem escritórios em 195 países. O evento teve participação de ministros de Paraguai, Honduras e Equador, além de delegados e policiais de vários outros países, sob a liderança do ministro Flávio Dino e do secretário-geral da Interpol, o policial dos Emirados Árabes Unidos Ahmed Naser Al-Raisi.

Últimas