Brasília Brasil não atingiu pico de infecções por Ômicron, diz Queiroga

Brasil não atingiu pico de infecções por Ômicron, diz Queiroga

Ministro escreveu que o enfrentamento à pandemia continua e reforçou pedidos para a população completar esquema vacinal

Agência Estado
Queiroga diz que ministério monitora a pressão sobre o sistema de saúde

Queiroga diz que ministério monitora a pressão sobre o sistema de saúde

Walterson Rosa/MS - 12.01.2022

Na avaliação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o Brasil ainda não atingiu o pico de infecções por Covid-19 causadas pela variante Ômicron do novo coronavírus. Em publicação no Twitter, o chefe da pasta destacou que o enfrentamento à pandemia continua e reforçou pedidos para que a população complete seu esquema vacinal.

"Tivemos aumento de casos provocado pela Covid-19 e ainda não chegamos ao pico da onda causada pela Ômicron", publicou Queiroga, junto com uma foto da equipe do ministério. "Monitoramos a pressão sobre o sistema de saúde, em especial a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Há espaço para abertura de novos leitos e estamos apoiando os estados sempre que necessário. A atenção primária também tem sido reforçada", disse.

Apesar do aumento no número de leitos necessários para o combate da doença em todo o país, Queiroga ressaltou que alguns estados "já apresentam redução de casos e esperamos que nas próximas semanas essa queda se mantenha". "Se você ainda não tomou a segunda dose e a dose de reforço, não esqueça de completar seu esquema vacinal", afirmou o ministro.

Últimas