Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Câmara deve ter duas semanas de sessões antes das eleições

Presidente Arthur Lira (PP-AL) já sinalizou que deve fazer uma semana de esforço concentrado em agosto e outra em setembro

Brasília|Sarah Teófilo, do R7, em Brasília


O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL)
O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL)

A Câmara dos Deputados deve ter apenas duas semanas de votação de matérias no plenário antes das eleições deste ano, após o recesso parlamentar, que começou no domingo (17) e vai até o dia 1º de agosto. A previsão do presidente Arthur Lira (PP-AL) é fazer um esforço concentrado por uma semana em agosto e outro em setembro, liberando os parlamentares para campanha no restante dos meses.

A aliados, Lira comenta a dificuldade de conseguir fazer com que os parlamentares se desloquem para Brasília durante a campanha, que já é visto como muito curta. Depois da pandemia da Covid-19, com as exigências de distanciamento, parlamentares apontam que esta vai ser uma pré-campanha e campanha difícil, e que exige a proximidade de suas bases eleitorais.

Na semana passada, em sessão que concluiu a aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que amplia benefícios sociais, Lira permitiu que os deputados registrassem presença a distância, flexibilizando uma norma emitida por ele que obriga os parlamentares a estar pessoalmente na Câmara nas sessões de terça a quinta-feira, ainda que possam votar fora da Casa. Ele foi criticado pela oposição por alterar o regimento interno da Casa para garantir a votação da PEC.

Leia também

Por outro lado, alguns parlamentares já aproveitaram para pedir que o sistema fosse mantido até as eleições, como o líder do MDB, Isnaldo Bulhões (AL), que defendeu a manutenção da mudança ao longo de todo o período eleitoral, para permitir que deputados registrem presença remotamente. O registro de presença e voto remoto foi instituído na Casa devido à pandemia da Covid-19.

Publicidade

"Depois de conversar com alguns líderes, sugeri um adendo ao ato da Mesa que modificou para virtual o registro de presença e votações dos senhores deputados e senhoras deputadas, para que, no período eleitoral, seja estendida essa mesma forma de votação. Acredito que não terei uma resposta de imediato, mas tenho certeza que a grande maioria dos Líderes concorda", pontuou.

Vice-líder do PL, capitão Augusto (SP) afirmou ao R7 nesta segunda-feira (18) que as lideranças estão solicitando a Lira que mantenha o sistema remoto antes das eleições. "Todos os parlamentares estão pedindo para o Arthur aliviar, com voto remoto também. Sessão 100% virtual não atrapalha em nada. Quem mora nas capitais, ainda consegue voo direto para Brasília. Mas quem fica nos interiores, como eu, perde um dia para ir e outro para voltar de Brasília", disse.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.