Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Câmara Legislativa do DF aprova política ‘Vini Jr’ de combate ao racismo em estádios

PL propõe que partidas sejam interrompidas em caso de condutas discriminatórias

Brasília|Giovanna Inoue, do R7, em Brasília

Brasileiro é jogador do Real Madrid, da Espanha (Lucas Figueiredo/CBF - Arquivo/Lucas Figueiredo/CBF - Arquivo)

A CLDF (Câmara Legislativa do DF) aprovou o projeto de lei que institui a política “Vinícius Júnior” de combate ao racismo em estádio e arenas esportivas nesta terça-feira (11). O PL segue para sanção do governador Ibaneis Rocha. Uma das normas trazidas pelo projeto é a possibilidade de uma partida ser interrompida em caso de denúncia ou de reconhecida manifestação de conduta racista ou discriminatória por qualquer pessoa presente no evento. A interrupção vai durar enquanto o organizador do evento ou o delegado da partida julgar necessário enquanto as atitudes racistas não cessarem.

LEIA TAMBÉM

Em caso de reincidência depois que a partida for retomada ou conduta racista praticada conjuntamente por torcedores, o organizador do evento ou delegado da partida podem decidir por encerrar a partida.

Além das medidas, o projeto prevê que campanhas educativas de combate ao racismo sejam realizadas durante os intervalos. Funcionários e prestadores de serviços devem ser treinados sobre os dispositivos do PL.

O PL é de autoria do deputado distrital Max Maciel (Psol) e foi inspirado no jogador de futebol do Real Madrid, Vini Jr, que sofreu diversos ataques racistas em partidas. Maciel afirma que o jogador se tornou “símbolo de resistência”. “O projeto objetiva enfrentar o racismo nos estádios e arenas esportivas através de medidas concretas antirracistas, a exemplo da criação do protocolo de combate ao racismo”, explica.

Racismo contra Vinicius Jr

O jogador brasileiro que atua no Real Madrid, da Espanha foi vítima de insultos racistas durante uma partida em maio de 2023. Desde então, o atleta brasileiro tem tem sido constante de racismo. “Não foi a primeira vez, nem a segunda e nem a terceira. Mas eu sou forte e vou seguir até o fim contra os racistas” escreveu o jogador em rede social em um dos episódios sofrido.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.