Brasília Casal equatoriano acusado de matar criança é preso no Brasil

Casal equatoriano acusado de matar criança é preso no Brasil

Caso ganhou repercussão no país vizinho. Casal foi preso em Mato Grosso do Sul por determinação do ministro Edson Fachin

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Casal foi preso na cidade de Corumbá, em Mato Grosso do Sul

Casal foi preso na cidade de Corumbá, em Mato Grosso do Sul

Polícia Federal/Divulgação

A Polícia Federal prendeu em Mato Grosso do Sul um casal equatoriano acusado de matar uma criança de 8 anos no país de origem. Os mandados contra Leticia Amanda Pombar Baralarezo, 36 anos, e Gabriel Eduardo Gonzalez Moya, 39, foram autorizados pelo ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), e cumpridos em Corumbá. A tendência é que eles sejam extraditados.

O caso repercutiu no Equador, e internautas chegaram a criar a hashtag "Justiça para Mel", com a finalidade de denunciar o caso. Gabriel foi preso na última quinta-feira (11), após a companheira relatar, em uma agência bancária, que havia sido sequestrada no Equador e trazida ao Brasil por ele.

No dia da prisão de Gabriel, policiais federais foram até o local onde o casal estava e encontraram um menino de 9 anos, filho dele. Na ocasião, Leticia permaneceu em liberdade. No entanto, as autoridades brasileiras notaram que o nome dela, assim como o do parceiro, estava na lista de procurados da Polícia Internacional, e ela foi presa neste sábado (12). 

Leticia é suspeita de participar da morte da própria filha. O menino, que não tem parentes no Brasil, foi levado para o Conselho Tutelar.

Últimas