Brasília Cerca de 250 de brasileiros na Ucrânia se registraram junto à Embaixada, diz Itamaraty

Cerca de 250 de brasileiros na Ucrânia se registraram junto à Embaixada, diz Itamaraty

Órgão estima que 500 cidadãos brasileiros estão no país e pede urgência em registro para 'acelerar providências logísticas'

  • Brasília | Lucas Nanini, do R7, em Brasília

Palácio do Itamaraty

Palácio do Itamaraty

MRE/Divulgação

O Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores) divulgou uma nota neste sábado (26) informando que cerca de 250 brasileiros que estão na Ucrânia se registraram junto à Embaixada, em Kiev, capital do país. O número corresponde à metade dos 500 cidadãos brasileiros que estão em território ucraniano, de acordo com o próprio órgão diplomático. O país europeu foi invadido por tropas russas na última quinta-feira (24).

“O Itamaraty reitera a importância de que todos os brasileiros se registrem junto à Embaixada, com urgência, a fim de acelerar ao máximo as providências logísticas, de contato e de identificação em curso”, continua a nota.

O órgão diplomático informou que o Brasil segue acompanhando ativamente a situação na Ucrânia e que presta “toda a assistência cabível aos nacionais brasileiros naquele país”. O Itamaraty anunciou que 40 pessoas embarcaram na manhã deste sábado em um trem saindo de Kiev para a cidade de Chernivtsi.

“De lá, seguirão até a fronteira, onde serão recepcionados por funcionários da Embaixada do Brasil em Bucareste [capital da Romênia], que já estão em contato com o grupo”. Segundo o ministério, há a confirmação de que outros brasileiros cruzaram o mesmo ponto da fronteira, na companhia de “cidadãos latino-americanos” e que se dirigiam até a principal cidade romena.

Nesta sexta (25), a pasta havia comunicado que estava descartada a possibilidade de resgatar brasileiros na Ucrânia. Segundo o órgão, operações de resgate envolvem enviar pessoas do Brasil para o país e realizar a retirada delas do local, o que seria inviável no momento. 

Brasileiros deixam Kiev de trem

Brasileiros deixam Kiev de trem

Divulgação/Embaixada do Brasil na Ucrânia

“Sobre a existência de plano de resgate, não há. A Embaixada do Brasil ou de qualquer país não tem condição de fazer uma operação de resgate no momento, que envolveria gente daqui, uma chegada à Ucrânia e uma retirada das pessoas de lá. Já a evacuação comporta a retirada de pessoas do país por meios próprios ou por meio do governo brasileiro que já está lá”, detalhou o secretário de Comunicação e Cultura do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Leonardo Gorgulho.

Neste sábado, o presidente Bolsonaro declarou que o governo tem atuado para garantir a retirada em segurança de brasileiros que estão na Ucrânia. No Twitter, o chefe do Executivo afirmou que, “mesmo diante de um cenário difícil, reforçamos: ninguém será deixado para trás”.

O presidente disse que 50 brasileiros que estavam no país, incluindo jornalistas, estudantes, empresários e atletas, foram levados para territórios vizinhos. Bolsonaro afirmou que acionou ministros, assessores e a diplomacia para permitir que os brasileiros na Ucrânia deixem o local por vias terrestres.

Segundo o chefe do Executivo, duas aeronaves Embraer KC-390 Millennium foram disponibilizadas para uma eventual missão de repatriação dos brasileiros que estão no país europeu. “O Itamaraty enviou uma missão para a fronteira da Romênia com a Ucrânia e tem coordenado a operação de evacuação de brasileiros por meio do contato direto com o chefe da estação central de trens de Kiev, com as autoridades migratórias e com as autoridades locais de Chernivtsi.”

Nesta manhã, a FAB (Força Aérea Brasileira) falou sobre os dois aviões disponibilizados para buscar brasileiros na Ucrânia. A corporação declarou que a decisão de utilizar os cargueiros KC-390 foi tomada em conjunto com dois ministérios.

Últimas