Brasília Confira quem são os novos ministros anunciados por Lula

Confira quem são os novos ministros anunciados por Lula

Com as indicações, o petista ampliou espaço dos partidos de centro; MDB e União Brasil ficaram com três ministérios cada um

  • Brasília | Camila Costa, do R7, em Brasília

Presidente eleito, Lula anuncia novos nomes para composição dos ministérios

Presidente eleito, Lula anuncia novos nomes para composição dos ministérios

Reprodução/Redes Sociais

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), anunciou nesta quinta-feira (29) os últimos nomes que vão compor a sua equipe ministerial. Lula passou a semana em negociação com os partidos e a equipe de transição até definir as indicações. Confira a lista dos novos ministros anunciados nesta quinta-feira:

Gonçalves Dias — Gabinete de Segurança Institucional (GSI)
Sonia Guajajara (PSOL) — Ministério dos Povos Indígenas
Paulo Pimenta (PT) — Secom
Carlos Fávaro (PSD) — Agricultura e Pecuária
Waldez Góes (PDT) — Integração e Desenvolvimento Regional
André de Paula (PSD) — Pesca
Carlos Lupi (PDT) — Previdência
Jader Filho (MDB) — Cidades
Juscelino Filho (União) — Ministério das Comunicações
Alexandre Silveira (PSD) — Minas e Energia
Paulo Teixeira (PT) — Desenvolvimento Agrário
Ana Moser — Esporte
Marina Silva (Rede) — Meio Ambiente
Simone Tebet (MDB) — Planejamento e Orçamento
Daniela Souza (União) — Turismo
Renan Filho (MDB) — Transportes

O futuro governo começará com 37 ministérios. O número é 60% superior ao da atual configuração da Esplanada.

Veja a lista completa de ministros:


Segundo o presidente, será agendada uma reunião com todos os ministros para alinhar as expectativas do governo para cada área. Na sequência, Lula receberá os governadores. “A construção do governo continua, inclusive, depois da posse. Os indicados, alguns têm conhecimentos, os que não têm terão estudos da transição. Vão começar a trabalhar, montar suas equipes, provavelmente, a partir de segunda”, afirmou Lula.

O senador eleito Renan Filho (MDB-AL) vai chefiar a pasta dos Transportes, e Jader Barbalho Filho, presidente do MDB no Pará, será o ministro das Cidades. Com as indicações de Renan e Jader, o partido terá três ministérios no futuro governo Lula. 

O terceiro ficará com a senadora Simone Tebet (MDB-MS). Lula oficializou o nome dela como ministra do Planejamento e Orçamento. Terceira colocada nas eleições, Tebet segue para a pasta após os planos dela de chefiar a Educação e o Desenvolvimento Social fracassarem. A senadora havia recebido convite também para o Ministério do Meio Ambiente, mas o recusou.

O governador Waldez Góes (PDT) vai assumir o Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional. Segundo Lula, ele vai se afastar do partido e migrar para o União Brasil. 

O deputado federal André de Paula (PSD-PE) vai ocupar o Ministério da Pesca. Já o general da reserva Marco Edson Gonçalves Dias será o futuro ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

A deputada federal eleita Marina Silva (Rede-SP) será a nova ministra do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas. Marina já ocupou o cargo na era petista, de 2003 a 2008, mas saiu após vários embates com o PT e com o agronegócio. Em seguida, desfiliou-se do partido e só se reaproximou de Lula durante a campanha de 2022.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, comandará o Ministério da Previdência Social. Lupi já foi deputado federal, entre 1991 e 1995, e ministro do Trabalho e Emprego, de 2007 a 2011. Desde o início de dezembro, ele vinha sendo cotado para compor a equipe de Lula. Ao R7, Lupi disse que já contava com o convite e afirmou estar pronto para assumir o cargo.

O Ministério das Comunicações ficará com Juscelino Filho (União Brasil). Já o deputado federal reeleito Paulo Pimenta (PT) estará na Secretaria de Comunicação (Secom). 

O senador Carlos Fávaro (PSD-MT) vai chefiar a Agricultura com a missão de refazer pontes do novo governo com o agronegócio. Ele tem 53 anos e atuou na campanha petista.

O senador Alexandre Silveira (PSD) será o ministro de Minas e Energia. Aos 52 anos, é senador e foi relator da PEC do estouro na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Bacharel em direito e servidor público da área da segurança, ele esteve à frente do Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT) entre 2003 e 2006. Foi deputado federal por dois mandatos e, entre 2011 e 2014, atuou como secretário de Gestão e de Saúde no Governo de Minas Gerais.

A deputada federal Sonia Guajajara (PSOL-SP) será a ministra dos Povos Indígenas. Ela já era nome de consenso na equipe de transição. No anúncio desta quinta, Lula afirmou que a presidência da Funai ficará com uma pessoa indígena, mas ainda não definiu o nome.

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), inicialmente cotado para as Comunicações, será o ministro do Desenvolvimento Agrário. A deputada federal Daniela Souza Carneiro (União Brasil) ficará com o Ministério do Turismo.

A ex-jogadora de vôlei Ana Moser assume o Ministério do Esporte. Ana tem 54 anos e é empreendedora social. Medalhista olímpica, ela desenvolveu em 1998 um projeto de formação de atletas baseado no ensino de voleibol em escolas públicas e privadas. Atuou também como comentarista de jogos na televisão.

Últimas