Brasília Covid-19: aumento dos casos faz governo recomendar reforço a vacinados com a Janssen

Covid-19: aumento dos casos faz governo recomendar reforço a vacinados com a Janssen

Como fabricante do imunizante de dose única não tem segunda aplicação, reforço deve ser feito com Pfizer ou Astrazeneca

  • Brasília | Victória Olímpio, do R7, em Brasília

22 milhões de doses da Janssen foram aplicadas no país, de acordo com o Ministério da Saúde

22 milhões de doses da Janssen foram aplicadas no país, de acordo com o Ministério da Saúde

Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Diante do novo avanço dos casos de Covid-19, o Ministério da Saúde reforçou algumas orientações para quem se vacinou com a Janssen, já que o fabricante do imunizante de dose única não tem segunda aplicação.

Para o público prioritário acima de 50 anos, após dois meses da dose única, é recomendado tomar uma dose de reforço no seguinte esquema: dose única inicial + dose de reforço + segunda dose de reforço. A imunização deve ser feita com as vacinas da Pfizer ou da Astrazeneca.

Já as pessoas acima de 50 anos devem tomar a segunda aplicação de reforço quatro meses depois da primeira dose de reforço, também com os mesmos imunizantes.

LEIA TAMBÉM: Governador Ibaneis anuncia 4ª dose para maiores de 40 anos no DF

As recomendações foram feitas a partir de estudos que demonstram que a imunogenicidade após aplicação de doses de reforço heterólogas, com combinação diferente de vacinas contra a Covid-19, foi adequada e superior a esquemas sem doses de reforço.

Segundo o Ministério da Saúde, até o momento, 443 milhões de doses de vacina foram aplicadas na população. Dessas, 22 milhões são da Janssen. Cerca de 77% dos brasileiros estão com o esquema vacinal primário completo, percentual que corresponde a 164,8 milhões de pessoas.

Últimas