Brasília Covid: Taxa de transmissibilidade segue crescendo no DF

Covid: Taxa de transmissibilidade segue crescendo no DF

O crescimento do indicador coincide com o avanço da variante Delta na capital federal

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Foto: Luiz Calcagno

A taxa de transmissibilidade da Covid-19 segue crescendo no Distrito Federal. O índice mostra como o vírus está circulando entre a população. Quando está abaixo de 1, significa que a transmissão está sob controle - quando cada pessoa transmite a apenas uma outra o coronavírus. O medidor está em 1,08. O secretário de Saúde, general Pafiadache, fez o anúncio em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (2/9).

A ocupação de leitos com suporte respiratório está em 32,67%, e de unidades de terapia intensiva (UTI), em 85,71%. A Secretária de Saúde também contratou 130 médicos temporários, que serão distribuídos em várias unidades, com prioridade nos hospitais regionais do Gama e de Samambaia.

Variante Delta

No último mapeamento feito pelo Laboratório Central da Secretaria de Saúde, técnicos concluíram que a variante Delta da Covid-19, versão mais agressiva da doença, já é majoritária entre os infectados.

De 91 amostras mapeadas, 60 eram da Delta, o equivalente a 66%. Outras 31 são da variante Gama. Das últimas nove mortes pela doença na capital, seis pacientes tinham sido contaminados com a versão mais agressiva da doença. Uma das vítimas é moradora do entorno do DF, e a procedência dos outros três está em investigação.

Vacinação

No Distrito Federal, um total de 156 mil pessoas que já poderiam ter sido imunizadas – 6% da população – ainda não procuraram um posto de vacinação. Outras 980 mil ainda precisam tomar a segunda dose.

Quem faz parte da parcela da população que ainda não tomou a primeira dose deve ficar atento. O DF tem vacinas para a primeira dose disponíveis nos postos, mas não em estoque. A Secretaria de Saúde pediu ao Ministério da Saúde mais imunizantes para aplicação da chamada D1, mas ainda não obteve resposta.

"O Distrito Federal vai receber, ainda essa semana, 19.890 vacinas da Pfizer para a segunda dose, e 9.750 de Astrazeneca também para D2. Nesta sexta (3), outra remessa de 28.080 doses. Não há previsão de chegada de vacinas para a primeira dose. Tivemos uma reunião ontem a noite no Ministério da Saúde. Essa campanha tem diversos critérios de observação para sua adequação permanentemente", afirmou o subsecretário de Vigilância em Saúde, Divino Valero.

Últimas