Brasília Covid: testes de vacina brasileira terminam em 2022, diz ex-ministro

Covid: testes de vacina brasileira terminam em 2022, diz ex-ministro

Marcos Pontes, ex-ministro da Ciência e Tecnologia, defendeu a ideia de que o presidente Jair Bolsonaro se imunize com o produto

  • Brasília | Plínio Aguiar e Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Ex-ministro Marcos Pontes em seu gabinete

Ex-ministro Marcos Pontes em seu gabinete

Sarah Teófilo

Agora ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, o astronauta Marcos Pontes afirmou em entrevista exclusiva ao R7, concedida na última terça-feira (29), que os testes clínicos da vacina 100% brasileira contra a Covid-19 terminam em nove meses, até o fim de 2022. Ele defendeu a ideia de que o presidente Jair Bolsonaro se imunize com o produto.

A aplicação da primeira dose da vacina foi feita em Salvador, na Bahia, em 13 de janeiro deste ano. Nessa primeira etapa, são avaliadas a segurança, reatogenicidade e imunogenicidade da vacina.

"São nove meses para ter os testes completos, fases 1, 2 e 3. Vai ser interessante porque vai ser a primeira vacina 100% brasileira", disse.

Pontes foi imunizado contra a Covid-19 e, assim como outros ministros, defende a ideia de que o presidente Jair Bolsonaro se vacine também. Questionado sobre a possibilidade de a imunização do chefe do Executivo ser com o produto 100% brasileiro, o ministro diz desejar que sim.

"Eu gostaria muito. Tenho falado com ele várias vezes, toda vez que eu tenho chance. Até ele fala: 'Pô, Marcos, você é muito chato'. Mas ele é meu amigo e eu vejo isso na necessidade de proteção da saúde. Ele não é novinho", destacou. "Pode até ser [positivo do ponto de vista eleitoral], mas eu vejo mais pelo lado da saúde", completou.

Pontes é um dos ministros que deixaram o governo de Jair Bolsonaro nesta quinta-feira (31). O titular vai tentar uma vaga na Câmara dos Deputados por São Paulo. Quem assume o ministério é Paulo Alvim, atualmente secretário de Empreendedorismo e Inovação.

Assista, abaixo, a entrevista exclusiva com o ministro Marcos Pontes:

Últimas