Brasília DF: cresce número de motoristas flagrados com celular ao volante

DF: cresce número de motoristas flagrados com celular ao volante

No DF, foram 66.288 multas aplicadas de janeiro a setembro deste ano, segundo dados do Detran, DER e Polícia Militar

  • Brasília | Priscila Mendes, do R7, em Brasília

Uso de celular ao volante é a segunda maior causa de acidentes de trânsito no Brasil

Uso de celular ao volante é a segunda maior causa de acidentes de trânsito no Brasil

iCarros/Divulgação

Cresceu, em relação aos dois anos anteriores, o número de motoristas multados pelo uso do celular ao volante no Distrito Federal. Somente de janeiro a setembro deste ano, foram 66.288 motoristas multados na capital, sendo que 50.377 autuações foram feitas no mesmo período do ano passado.

O levantamento do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e da Polícia Militar do DF mostra ainda que houve um aumento de 10% em relação a 2019, no período anterior à pandemia, quando havia mais pessoas circulando nas ruas.

Segundo o Detran-DF, estudos realizados nos Estados Unidos e no Brasil apontam que o risco de acidente de trânsito é quatro vezes maior quando o motorista dirige manuseando o celular. "O condutor que usa o celular ao volante perde por total a atenção no trânsito e tem uma reação tardia, o que consequentemente pode causar acidentes", ressalta o servidor do Detran-DF Luiz Carlos Souto, coordenador de Policiamento e Fiscalização de Trânsito da Região Metropolitana. 

Luiz Souto ressalta ainda o perigo do uso do celular no caso dos pedetres, que devem evitar mexer no aparelho enquanto atravessam vias ou caminham pelas calçadas. "Eles perdem não só a atenção como a percepção de aproximação de veículos. O foco deve estar sempre no trânsito", diz.

O uso do celular ao volante é considerada a segunda maior causa de acidentes de trânsito no Brasil, ficando atrás apenas do uso de bebida alcoólica. A infração é considerada gravíssima e o motorista leva sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além de pagar uma multa de R$ 293,97.  Vale ressaltar que qualquer policial que perceba a ação pode anotar a placa, sem precisar abordar o condutor. 

Confira a entrevista de Luiz Carlos Souto ao R7:

Últimas